• Da Redação

Ação Cachoeira sem frestas retorna para ajudar famílias em vulnerabilidade social

A ação conjunto que deu origem a ideia chamada de “Cachoeira sem frestas” está de volta. A Secretaria de Trabalho e Ação Social (Stas) em parceria com as entidades integrantes do Sistema Fecomércio em Cachoeira do Sul: Sindilojas Vale do Jacuí, Sesc e Senac, estão unindo esforços para a coleta de caixas de leite, matéria prima do projeto e reunindo os voluntários para fazer as placas através da união das caixinhas.

A ação final é a cobertura das frestas em casas previamente escolhidas pelas entidades. A pedido da STAS, a primeira beneficiada será a casa de uma família que reside nas proximidades do Posto Shell. O secretário da Stas, Itamar Luz, explica que a família é de extrema vulnerabilidade social. “São quatro pessoas e um deles é cadeirante”, complementa ele. A ação será no Dia do Desafio, que acontecerá na última quarta do mês de maio, 26 de maio, dentro dos protocolos de segurança de prevenção a Covid-19. Os pontos de coleta serão o Sindilojas, Sesc, Senac.

Essa ação é oriunda do projeto Brasil sem Frestas, que nasceu em setembro de 2009 em Passo Fundo, a partir de uma preocupação de uma química com a situação das famílias em vulnerabilidade social, conhecedora do efeito de isolante térmico das embalagens tetra pak. Desta forma ela visualizou a possibilidade de melhorar a condição de moradia de pessoas que têm suas casas com muitas frestas e buracos. A ação visa o conforto dos moradores com o revestimento das casas por placas térmicas feitas de embalagens de papel.


Chapas térmicas que garantem qualidade de vida

O trabalho consiste na confecção e aplicação das chapas térmicas de caixas de leite com três objetivos: melhorar a saúde pública, retirar do meio ambiente um produto de difícil decomposição e reciclagem direta. E a principal meta é levar saúde para as pessoas por meio do aumento do conforto térmico. O projeto visa ao conforto, pois reveste termicamente as paredes com frestas, para evitar a entrada de frio, chuva e calor.

As embalagens tetra pak possuem seis camadas, olhando de dentro da caixa para fora, tem duas camadas de plástico, (que evitam a entrada de chuva), depois o alumínio, (considerado isolante térmico), outra camada de plástico, o papelão, (que dá mobilidade), com a impressão da marca e por último mais uma camada de plástico. A durabilidade destas embalagens passa dos 200 anos.


Os plásticos presentes evitam a entrada da água da chuva e protegem o papelão e o alumínio, e o alumínio um excelente isolante térmico, ou seja, reflete o calor, e fechando as frestas impede que o frio entre, além de proteger contra insetos e outros animais. A campanha de caixas de leite será permanente. As embalagens precisam ser doadas abertas e limpas para evitar contaminação. Além de caixas de leite, o projeto também utiliza embalagens longa vida de suco, iogurte e água de coco.

Foto: Ascom Prefeitura

Tchê Peq..png