top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Aldeanos do Samba vai homenagear a professora cachoeirense Lair Vidal no Carnaval 2024



A partir das 20h30min deste sábado, 6 de janeiro, a Escola Aldeanos do Samba promoverá uma festa de lançamento do tema do Carnaval 2024 da agremiação "Lair Vidal, no cantar do sabiá - a educação venceu, hoje na Aldeanos o palco principal é seu", no Grêmio Náutico Tamandaré, na Rua Júlio de Castilhos, centro de Cachoeira do Sul. Haverão muitas apresentações e música, com o DJ Alexandre Dionísio.


O tema representa quando Lair era criança, saía com sua mãe Zenaide para lavar roupas e ouvia o cantar do sabiá, aonde ela acompanhava cantando sem reclamar e com um sorriso enorme no rosto. Lair cresceu e no decorrer de sua vida tornou-se uma grande mulher, vitoriosa e guerreira. Se tornou professora, educando várias pessoas. A cachoeirense será a homenageada na Passarela do Samba. No palco principal a estrela que brilhará é a de Lair Vidal.


Lair Vidal - Professora Municipal Aposentada

Lair Tereza Vidal da Silva, 70 anos, é professora municipal aposentada na área de Língua Portuguesa. Seu currículo traz ainda a atuação como Diretora de Educação, de cultura e do Museu Municipal em Cachoeira do Sul. Foi liturgista na comunidade Nossa Senhora Aparecida, é ativista negra e atualmente preside a comissão da mulher na Academia Cachoeirense de Letras.


Já publicou diversos poemas e na próxima edição de “Poetas do Vale”, também terá poemas publicados. A obra “Educação sem discriminação”, possui um capítulo todo feito por ela. Na década de 80, seu rosto foi a capa do livro “Rio Grande do Sul, aspectos da negritude”. E é também a Patrona da 38º Feira da Livro de Cachoeira.


Lair também foi a primeira presidente do Sindicato dos Professores Municipais (Siprom) em 1989 e e primeira representante dos professores municipais no Conselho Municipal de Educação.


Recentemente, a cachoeirense foi uma das 15 mulheres negras do município que recebeu o Troféu Dandara. As escolhidas são mulheres empoderadas e maravilhosas que contribuíram de alguma forma com a comunidade cachoeirense. "Receber o troféu Dandara me alegra, sou reconhecida, agradecida e compartilho com toda a minha gratidão. E compartilho com meus ancestrais, com as mulheres negras da minha história, aquelas que me ajudaram e me trouxeram até aqui, esse legado, esse patrimônio da minha ancestralidade", enfatiza.


Dandara foi liderança junto ao seu companheiro Zumbi e um dos maiores quilombos das Américas Palmares. Ela plantava na produção da farinha de mandioca, caçava e lutava capoeira, usava armas para liderar homens e mulheres de resistência do quilombo.

Imagens: Reprodução.

bottom of page