top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Após ameaça de denúncias, Corsan afirma que gosto e sabor da água devem ser normalizados até essa sexta


A proliferação de algas está ocorrendo há cerca de uma semana no manancial do Rio Jacuí que atende além de Cachoeira do Sul, os municípios de Agudo e Dona Francisca, devido ás altas temperaturas e falta de chuva significativa. A Corsan continua utilizando carvão ativado para absorver as substâncias que alteram o sabor e odor da água.


Inconformados com a situação, um grupo de moradores de Cachoeira estavam prestes a se reunir para fazer denúncias contra a companhia, pois alegaram estar sabendo de informações internas sobre a unidade, como a mudança de profissionais nos laboratórios por outros que supostamente não possuem a devida capacitação necessária, o que poderia estar ocasionando o atraso do tratamento e consequentemente a normalização da água, que deveria ocorrer em cerca de dois dias.



O Fatos 24h repassou a informação da mobilização dos cachoeirenses e reiterou que a expectativa é que até esta sexta-feira, 16 de fevereiro, o gosto e o sabor da água já estejam normalizados. "O monitoramento de dosagens, aplicação de produtos e medição da qualidade da água, além de ser realizado na estação de tratamento também é realizado pelo Centro de Operações Integradas (COI), que envia relatórios diários de padrões de conformidade", pontua a unidade.


Comments


bottom of page