• Da Redação

Após quase 15 dias internado, professor José Luís recebe alta do HCB

O professor cachoeirense de Educação Física, José Luís Freitas, recebeu alta nesta segunda-feira, 7 de junho, após cerca de 13 dias que ficou internado para lutar contra o coronavírus. Durante esse tempo, Zé chegou a ser transferido para a UTI do Hospital de Sapiranga, local onde ficou internado por alguns dias, já que o HCB enfrentava e ainda enfrenta superlotação de internações nas unidades Covid. Em pouco tempo o professor acabou retornando para o HCB, onde permanecia até a sua alta, se tornando hoje mais um dos cachoeirenses que felizmente conseguiram se recuperar do vírus.



Em declaração exclusiva no início da tarde de hoje ao chegar em casa, o professor agradeceu a todos pelas orações recebidas. "Fui muito abençoado. Quero agradecer todas as pessoas que ajudaram rezando pela minha recuperação, e entre esses estão inclusos meus ex-alunos, acadêmicos, amigos, colegas e familiares", ressaltou.


Em mensagem o professor enfatizou:

"Prosseguirei tratando-me em casa, com reabilitação pulmonar que de 70% comprometido já evoluiu para 50% na data de hoje. Graças a Deus e suas orações, a partir de amanhã pretendo voltar com atividades remotas na Ulbra. Que tenhamos um final de semestre com segurança na saúde. Cuidem-se, pois o sofrimento pessoal e familiar é imenso!".


O relato do professor José Luís:

"Primeiramente temos que ser muito éticos para com os outros e assim pensarmos além de nós. Eu retornei às atividades docentes pouco antes de contrair essa doença tanto na escola quanto na universidade, onde já vinha trabalhando. Na retomada de aulas na Escola Borges, aconselhei vários dos meus alunos antes de irmos para as práticas para que conversassem com seus familiares e seus amigos, no caso se alguém tivesse positivado que toda família ficasse em isolamento para que evitassem a propagação o vírus, como infelizmente muitos estão fazendo por aí, sem se preocupar com o próximo. Tive conversas durante aquela semana com as turmas. Não sei se foi na escola, mas eu contraí o vírus, mesmo adotando todos os cuidados necessários. Fica para a sociedade, a certeza de nós cada vez mais como cristãos nos preocuparmos com o outro no sentido de nos recuperarmos sem passar à frente, termos muito zelo, pois o sistema de saúde está superlotado. Digo, porque eu mesmo tive que viver essa experiência de sair da minha cidade para buscar os primeiros atendimentos. Felizmente consegui retornar porque com certeza Cachoeira do Sul tem condições de atender bem os seus pacientes. Eu tive a oportunidade de ficar cinco dias em Sapiranga e uma semana em Cachoeira. Posso dizer que em ambos os lugares, à exemplo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) onde permaneci por um dia e meio, eu fui muito bem atendido. Deixo os meus parabéns aos profissionais da área da saúde, pois estão fazendo o possível e o impossível. A unidade covid do nosso HCB na última semana me prestou um atendimento de excelência, e fui uma pessoa que procurou se ajudar. O meu alerta também é nesse sentido. Quem adoecer não pode se "atirar", deve se ajudar, buscar força na fé, lutar pela vida. Eu tive muitos amigos, ex-alunos, alunos, colegas, amigos que fizeram correntes fortes de oração por mim, junto da minha fé e apoio da minha família que foram primordiais na minha recuperação. Consegui vencer fazendo a minha parte, pois ninguém tem que ser paciente de uma casa de saúde e ficar esperando que a área faça tudo. A pessoa tem que se ajudar e eu tenho certeza que me ajudei, mesmo sofrendo com muita dor, mas valeu e está valendo a pena. Tenho ainda um estágio de recuperação para fazer em casa e já estou em reabilitação com atividades de movimentos e, em breve se Deus quiser com saúde".



Tchê Peq..png