• Da Redação

Bolsonaro tem melhora, mas segue sem previsão de alta

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apresentou melhora na manhã de quinta-feira, 15 de julho, informou a equipe médica que o acompanha no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Por enquanto, ele permanece internado na unidade de saúde e não há previsão de alta. De acordo com boletim médico, o quadro de saúde do presidente evolui "de forma satisfatória clínico e laboratorialmente". O comunicado informa que "permanece o planejamento terapêutico previamente estabelecido".


Em virtude da internação, Bolsonaro cancelou a tradicional live que faz às quintas-feiras em sua página no Facebook e adiou uma viagem que faria para Manaus (AM) na sexta-feira (16/7). As alterações nos compromissos foram divulgadas pelo presidente nas redes sociais, na tarde de quinta.


Bolsonaro foi transferido para o hospital em São Paulo para ser submetido a exames médicos e passar por observação, após ser diagnosticado com uma obstrução intestinal, segundo nota divulgada na quarta-feira (14/7) pela Secretaria de Comunicação (Secom) do governo. Ele chegou de Brasília ao aeroporto de Congonhas em um avião Força Aérea Brasileira (FAB) por volta de 18h54, segundo o site de notícias G1, e minutos depois foi levado ao Hospital Vila Nova Star, da Rede D'Or.


Em nota enviada à imprensa por volta de 21h de quarta-feira, o hospital afirmou que "após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o Presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador" — ou seja, sem cirurgia por ora. O senador Flávio Bolsonaro publicou no Twitter, no fim da manhã desta quinta-feira, que o quadro de Bolsonaro melhorou e que o pai acordou "bem disposto". "A continuar assim, não precisará fazer cirurgia! Obrigado a todos pelas orações!", escreveu o parlamentar.


A equipe que acompanha Bolsonaro no hospital é formada pelo cirurgião-chefe Antônio Luiz Macedo; Ricardo Camarinha, cardiologista do presidente; Leandro Echenique, clínico e cardiologista; Antônio Antonietto, diretor médico do Vila Nova Star; e Pedro Henrique Loretti, diretor geral do hospital.


Mais cedo na quarta-feira, o presidente deu entrada no Hospital das Forças Armadas, no Distrito Federal, para investigar a causa de uma crise de soluços que o incomodava há dias, conforme mencionou em vídeos nas redes sociais e conversas com apoiadores. Bolsonaro já vinha apresentando problemas de saúde nas últimas semanas. No dia 9 de julho, o presidente precisou deixar um jantar com empresários em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, ao passar mal.

Foto: Divulgação

Tchê Peq..png