• Da Redação

Brasil será líder com a disparada no consumo do milho

O consumo global de milho deve aumentar 25% nos próximos dez anos, saindo de 1,144 bilhão de toneladas em 2021 para 1,430 bilhão de toneladas em 2030. A projeção é do Rabobank no relatório “Perspectiva da competitividade regional do milho até 2030 – Produção e comércio sobem, e o Brasil vai assumir a liderança”.


De acordo com as estimativas do banco especializado em agronegócio, o comércio global de milho mostrará um crescimento ainda mais forte, de 100 milhões de toneladas em comparação com as 87 milhões de toneladas da década anterior. O movimento será impulsionado pelo “crescimento da produção de proteína animal, tensões geopolíticas e escassez de milho resultante de clima adverso e restrições na área cultivada e ganhos de produtividade”.

Segundo eles, o Brasil se beneficia do “uso duplo da infraestrutura da fazenda”, já que a soja e o milho ‘safrinha’ são produzidos em diferentes períodos, mas ocupam as mesmas instalações. “A soja exigirá novos investimentos e capacidade adicional, o que também beneficiará a safrinha. A expansão da capacidade do Arco Norte no Brasil nos últimos anos beneficiará o crescimento das exportações de milho até 2030. Os riscos incluem a desvalorização da moeda, que pode impactar os custos de fertilizantes, visto que o país depende fortemente de importações”, apontam os analistas.


Fonte: Agrolink

Banner para site-1.png