• Da Redação

Brechó Solidário da Juju é um sucesso e arrecada quase R$ 16 mil


Adv. Sandro, Muriele, Greice e o pai Ramfes (da esq. para a direita)


Realizado no último sábado, 08 de agosto, na Escola Borges de Medeiros, o Brechó Solidário da Juju atraiu centenas de pessoas, que respeitaram o distanciamento nas filas para comprar algumas das 2.500 peças que estavam a venda. Os valores das peças variavam de R$ 1,00 até R$ 40,00, sendo o valor mais alto para os calçados novos da Kildare, 415 pares doados pela Jacob.


As irmãs organizadoras do brechó, Greice da Silva e Muriele da Silva, festejaram o sucesso do evento, que arrecadou exatamente R$ 15.936,00. O valor foi depositado na conta da fundação nesta terça-feira, 11 de agosto. "Gostaria de agradecer a todos os voluntários que nos ajudaram na ação, em especial a diretora Maristela e o funcionário Ângelo da escola, e a todas aquelas pessoas que prestigiaram o brechó, inclusive muitas delas de fora da cidade" destacou Greice.



Durante o evento, esteve presente o pai da menina Júlia, Ramfes Torres, acompanhado do advogado da associação, Sandro Wiedenhoft. Ramfes agradeceu a ação realizada pelas "formiguinhas da Juju" e a toda comunidade cachoeirense, que segundo ele, é uma das cidades que mais está engajada no caso da Juju. "É incrível ver as pessoas fazendo algo pela filha de alguém que eles nem conhecem. Só tenho gratidão a todos os envolvidos", confidenciou emocionado o pai.

Foto: Greice da Silva


Campanha Ame Juju


Júlia Cardoso Torres, chamada carinhosamente de Juju, é moradora de Santa Cruz do Sul e sofre de Atrofia Muscular Espinhal (AME tipo 1). O tratamento atualmente só pode ser realizado até os dois anos de idade, e nos Estados Unidos, com a aplicação do medicamento Zolgensma que tem um custo elevado de aproximadamente R$ 9 milhões.


No final de junho deste ano, a família da Juju conseguiu uma vitória em primeira instância para que a União pagasse pelo tratamento, porém, no mês de julho a União recorreu e agora o processo seguirá aguardando novo resultado em segunda instância. "Este processo de recorrer era esperado, porém seguimos trabalhando forte, pois o caso tem um tempo limite que é dezembro deste ano, já que a Juju completará dois anos. Não faltará esforço e trabalho da nossa parte. Comemoramos uma primeira vitória e buscaremos a segunda" destaca o advogado Wiedenhoft.

Tchê Peq..png