• Da Redação

Butantan entrega mais 1 milhão de doses de vacina ao Governo Federal

O Instituto Butantan entregou nesta segunda-feira, 14 de junho, ao Ministério da Saúde um lote de 1 milhão de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19. Essa remessa é parte dos 5 milhões de doses previstos para serem liberados ao longo do mês de junho para o Programa Nacional de Imunizações (PNI).


O novo lote de 5 milhões de doses está sendo produzido a partir dos 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos no último dia 5 de maio. Desse total, já houve a liberação de 1,8 milhão de vacinas desde sexta-feira (11), quando foram entregues 800 mil doses. As doses disponibilizadas hoje contemplam o segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi cumprido no dia 12 de maio.


Envase

Segundo informações do Instituto Butantan, o envase da matéria-prima foi iniciado no dia 27 e terminou na madrugada do dia 30. Parte das doses já envasadas está em outras etapas do processo produtivo, como inspeção de controle de qualidade. O Butantan informou ainda que até o fim de junho receberá um novo lote de 6 mil litros de IFA para a produção de mais 10 milhões de doses.


“Nesse caminhão que está aqui, nós estamos com a carga de um milhão de doses da vacina do Butantan a ser entregue, nesta manhã, ao Ministério da Saúde. E na próxima quarta-feira teremos uma nova remessa sendo entregue”, informou o governo paulista.


Ainda de acordo com o Butantan, com a entrega de hoje, já foram fornecidos ao PNI 49 milhões de doses desde 17 de janeiro, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


Johnson adia envio de vacinas que chegariam nesta terça ao Brasil


O carregamento com três milhões de vacinas da Johnson, previsto para chegar na terça-feira ao Brasil, não desembarcará na data prevista. O cancelamento foi confirmado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira. A pasta prevê, porém, que as doses devem chegar ainda nesta semana no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. A empresa norte-americana informou que não conseguiu embarcar o carregamento nesta segunda.


As vacinas têm prazo de validade até 27 de junho. Por isso, o Ministério terá poucos dias para a distribuição e aplicação das doses. A estratégia da pasta prevê a distribuição em cinco dias com a utilização só nas capitais. Na última sexta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reuniu com a farmacêutica para discutir o o pedido de extensão do prazo de validade da vacina no Brasil. Atualmente, o prazo de validade aprovado pela Anvisa é de três meses, a proposta da empresa é ampliar para quatro meses e meio. A agência reguladora dos Estados Unidos já aprovou essa extensão.

Foto: Divulgação

Tchê Peq..png