• Lenon Quoos

Cachoeira do Sul é a 10ª maior produtora de soja do RS

Há anos, Rio Grande do Sul e Paraná se alternam na vice-liderança da produção de soja no Brasil. Nesta temporada 2021/22, com a estiagem que castigou fortemente os dois estados e a inevitável quebra de safra em ambos, estima-se que os paranaenses levarão a melhor, com 11.585 milhões de toneladas colhidas, contra 9.541 mi/t dos gaúchos, de acordo com dados de Deral-PR e Emater-RS, respectivamente.

Neste cenário, Mato Grosso segue absoluto em primeiro lugar, com uma produção estimada em 39,19 milhões de toneladas na safra 2021/22, segundo o Imea. No entanto, não é exagero dizer que o pioneirismo do produtor rural do Sul do país, que subiu o mapa e desbravou solos inférteis, foi o responsável pelo protagonismo que a soja tem hoje como a principal commodity agrícola do país. A atual força da região do Matopiba é um exemplo disso.


Assim, vale destacar quais os dez primeiros municípios que ajudam a fazer da região uma potência na produção da oleaginosa em solo nacional, conforme o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE):


Rio Grande do Sul – em mi/t

1. Tupanciretã – 330.296 2. Palmeira das Missões – 260.000 3. Cruz Alta – 197.040 4. Muitos Capões (RS) – 195.000 5. Júlio de Castilhos (RS) – 182.520 6. São Luiz Gonzaga (RS) – 171.154 7. Santa Bárbara do Sul (RS) – 170.784 8. São Gabriel (RS) – 150.000 9. Vacaria (RS) – 148.500 10. Cachoeira do Sul (RS) – 139.309


Paraná – em mi/t de soja

1. Cascavel – 423.599 2. Tibagi – 395.500 3. Guarapuava – 318.360 4. Ponta Grossa – 286.250 5. Toledo – 281.600 6. Castro – 265.300 7. Assis Chateaubriand – 263.181 8. Lapa – 226.062 9. Mamborê – 222.300 10. Pitanga – 217.140

Banner para site-1.png