• Da Redação

Cachoeira pode entrar na bandeira vermelha: entenda como é feito o cálculo

O modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul foi lançado no dia 11 de maio e recebeu muitos elogios, servindo de base para que outros estados do Brasil traçassem seus próprios sistemas de combate à pandemia e também mantivessem a economia girando — dentro das possibilidades que o momento exige.


Com 70% dos leitos de UTI do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), ocupados com pacientes em tratamento do Covid-19, Cachoeira corre o risco de trocar de bandeira, passando de laranja (risco médio) para vermelha (risco alto).


Situação em Cachoeira


O Hospital de Caridade e Beneficência (HCB) atualmente esta tratando de sete pacientes de outros municípios: dois de Caçapava do Sul, um de Canoas, um de Sapiranga, um de Arroio dos Ratos, um de Estância Velha e um de Sapiranga com Covid-19. Dos 121 casos registrados no município, 101 já estão recuperados, outros 20 estão em isolamento domiciliar. Felizmente, a cidade não conta com nenhum óbito confirmado da doença.


Foto: Divulgação


Entenda o cálculo


O cálculo é baseado em 11 indicadores, que definem as bandeiras para cada região, sendo que eles analisam a velocidade do contágio e capacidade de atendimento em UTI’s de cada região. São pontuações para que a média final diga em qual enquadramento cada uma das 20 áreas do Rio Grande do Sul estará enquadrada. Destes tópicos, apenas um é de projeção futura e um leva em conta o número de contaminados total de cada região. Outros nove indicadores trabalham com números concretos e fornecidos diretamente pelos hospitais do Rio Grande do Sul.


O cálculo de propagação do vírus é basicamente todo em cima de hospitalizações por covid-19 ou de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG), quadro de pneumonias e outras situações que são muito parecidas com os efeitos causados pelo coronavírus. Quanto mais internações, o vírus está circulando com maior velocidade. O Estado não leva em conta outros estudos, mas se estima que 15% dos contaminados pelo Sars-Cov 2 precisarão de algum tipo de internação. São sete indicadores nessa divisão, com peso igual no resultado final.


Ainda dentro dessa divisão, existem dois dados diferentes, sendo que um não leva em conta as estatísticas hospitalares. O primeiro é uma relação entre ativos e recuperados nos últimos 50 dias. Essa relação considera quatro ciclos – de 14 dias – dos recuperados para fazer um comparativo com o número de infecções ativas. Assim, ele demonstra a evolução da doença no município.


Saiba mais: Cabe salientar que apenas um dos 11 índices se refere a hospitalização em enfermaria. Todos os demais são específicos de UTI, aonde se encontram os pacientes de quadro mais grave e que correm maior risco de evoluir para óbito.


Região - 8ª CRS


A definição da bandeira conforme estabelecido pelo Distanciamento controlado, é definida conforme os números apresentados pela região. Cachoeira do Sul pertence a 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, juntamente com: Arroio do Tigre, Caçapava do Sul, Cerro Branco, Encruzilhada do Sul, Estrela Velha, Ibarama, Lagoa Bonita do Sul, Novo Cabrais, Passa Sete, Segredo e Sobradinho.


Foto: Divulgação

Tchê Peq..png