• Lenon Quoos

Cachoeira sobe para 87 casos suspeitos de dengue

Envolver as comunidades escolares e recrutar as associações de bairros nas ações preventivas à doença foram dois dos pontos discutidos pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Aedes aegypti na reunião realizada na última sexta-feira, na sede da 8ª Coordenadoria Regional da Saúde.


Presidente do comitê e também da União Cachoeirense das Associações de Bairros (Ucab), Armindo Macedo, vai levar o tema aos presidentes das entidades e organizar um calendário para que técnicos do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) possam ir às comunidades desenvolver ações educativas que atentem os moradores para os riscos da doença e para a prevenção, que é baseada em grande parte na higiene das residências, sobretudo nas áreas externas, como forma de eliminar focos de água parada, onde desenvolvem-se os mosquitos transmissores da dengue.


Também presente na reunião do comitê, o presidente do Bairro Oliveira, Jorge Valdez - local onde foram identificados os dois primeiros casos confirmados da doença e onde se encontra o maior número de suspeitos de contágio na cidade -, incumbiu-se de mobilizar moradores, assim como professores e alunos da região para uma ação de esclarecimento ao público em geral. Pelo Poder Público, o secretário municipal da saúde, Marcelo Figueiró, comprometeu-se em mobilizar os demais secretários do governo municipal para essa mobilização.


“Queremos expor os números aos demais gestores e verificar o que cada um, dentro da sua pasta afim, pode colaborar nesta frente contra a dengue, tanto em recursos materiais como humanos”, explicou Figueiró. Outra providência já anunciada pela Secretaria da Saúde será a convocação dos agentes comunitários de saúde a reforçarem o time dos agentes de endemias nesta tarefa pelos bairros.


CASOS AVANÇAM

Nesta segunda-feira, 4, segundo os números atualizados pelo DVS, continuam dois casos confirmados de dengue, sendo mais 87 suspeitas aguardando laudos de exames enviados ao Laboratório Central do Estado (Lacen), em Porto Alegre. Com o mau tempo desta manhã, a equipe de endemias, coordenada pela bióloga Rosinele Perez, precisou deixar de lado a atividade de pulverização das residências monitoradas e deteve-se numa reunião de planejamento das ações por bairros atingidos. Além do Oliveira, os agentes estarão retomando em breve o trabalho de campo em outros bairros como Noêmia, Santa Helena e Tibiriçá.


A coordenadora do Setor de Endemias explica que estão sendo recebidas denúncias de pontos críticos para averiguação, mas que somente serão averiguadas situações repassadas com endereços completos e descartadas denúncias anônimas, já que o órgão garante a confidencialidade da autoria dos contatos. Os telefones para contato são 3724-6112 e 3723-1351.


O COMITÊ

Integram o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Aedes aegypti, criado em maio passado, representantes das secretarias da Saúde, do Interior e Transportes, Meio Ambiente, Indústria e Comércio, além de integrantes da 8ª Coordenadoria Regional da Saúde, Conselho Municipal da Saúde e União Cachoeirense das Associações de Bairros (Ucab).

Texto e foto: Viviane Souza/Imprensa SMS

Banner para site-1.png