• Lenon Quoos

Cachoeira registra 158 mortes em 139 acidentes de 2010 a 2019 aponta estudo do DetranRS

A cidade de Caxias do Sul registra muitas colisões de veículos com objetos fixos. Gravataí tem a maioria dos acidentes em rodovias. Pelotas se destaca pelos acidentes com motociclistas, especialmente jovens. Em Rio Grande, o maior problema são os acidentes com pedestres idosos. Em Novo Hamburgo, os acidentes em vias municipais ocorrem mais à noite. As constatações acima foram feitas a partir de levantamento inédito do DetranRS divulgado nesta Semana Nacional de Trânsito. O estudo inclui, pela primeira vez, os acidentes de trânsito com lesão corporal e com danos materiais, além de acidentes fatais, que já eram analisados. A base de dados é o Sistema Consultas Integradas, da Secretaria da Segurança Pública (SSP).


Foram analisados todos os 8.708 acidentes fatais no período de 2010 a 2019, além de um total de 62.648 acidentes com lesão e 134.317 ocorrências com danos materiais dos últimos três anos. Os diagnósticos individualizados dos 50 municípios foram encaminhados às secretarias de trânsito das prefeituras, oferecendo assessoria para a avaliação dos dados e desenvolvimento de intervenções de engenharia, educação ou fiscalização.



EM CACHOEIRA DO SUL

O município de Cachoeira do Sul no período de 2010 a 2019, onde foram identificados 139 acidentes fatais que resultaram em 158 mortes, sendo 2013 o ano mais violento no trânsito quando ocorreram 21 óbitos, enquanto os menores índices foram registrados em 2012 quando faleceram 7 pessoas em decorrência de lesões causadas em acidentes no trânsito.


Em relação à natureza dos acidentes fatais, os maiores índices são das colisões (frontais e traseiras), que representaram 37% dos acidentes que resultaram em morte, seguida dos choques em objeto fixo e dos atropelamentos, que representaram 18% e 16,5%, respectivamente. Analisando a distribuição destes acidentes por turno, identificou-se que 48% dos atropelamentos ocorreram durante à noite e 36% dos choques em objeto fixo ocorreram no turno da madrugada.


Quanto à distribuição dos acidentes fatais por tipo de via, estes ocorreram em vias municipais e em rodovias estaduais e federais, sendo que as rodovias federais concentraram 60% do total de acidente fatais registrados no período: foram 83 acidentes que resultaram em 100 mortes, destes 39% foram colisões (frontais, traseiras ou laterais) e 19% foram choques em objeto fixo. Analisando os acidentes fatais ocorridos nas vias municipais, foram 47 acidentes fatais no período (34% do total), destacam-se as Avenidas Marcelo Gama e Brasil que somam 14% do total de acidentes, concentrando 40% do total de acidentes fatais ocorridos somente nas vias urbanas. Dos acidentes nas vias urbanas, identificou-se que 25,5% foram atropelamentos e 50% destes ocorreram durante à noite.


Analisando os tipos de veículos envolvidos em acidentes fatais, identificou-se que 22% dos acidentes tiveram participação de caminhões e outros 21% envolveram motocicletas. Com relação à distribuição dos acidentes por dia da semana e turnos, os finais de semana correspondem a 42% dos acidentes fatais analisados, foram 59 acidentes que resultaram em 66 óbitos, sendo que 39% destes ocorreram nas noites de sábados e domingos. Além dos finais de semana, destaque para as manhãs de quartas-feiras e as noites de terças-feiras quando foram registrados 8 acidentes fatais cada. No geral, identificou-se que 31% dos acidentes ocorreram durante as noites e outros 30% no turno da tarde, juntos somam 85 acidentes no período que resultaram em 92 mortes.


Quanto ao perfil geral das vítimas fatais, em Cachoeira do Sul a maioria era do sexo masculino: morreram 119 homens (75%) e 39 mulheres. Identificou-se que 68% dos homens que tiveram óbito estavam conduzindo veículos (todos os tipos) no momento do acidente. Já as mulheres, 54% estavam na condição de passageiras de veículos e outras 18% eram pedestres. No que se refere a faixa etária das vítimas fatais, destacam-se os adultos com idade entre 45 a 59 anos e os idosos com 60 anos ou mais, correspondendo a 29% e 24% dos óbitos, respectivamente, enquanto os jovens com idade entre 18 e 24 anos representaram 16% dos óbitos no período analisado.


Nos acidentes ocorridos em Cachoeira do Sul identificou-se que 62% dos óbitos foram de ocupantes de veículos quatro rodas: faleceram 58 condutores e 40 passageiros, sendo que os ocupantes de motocicletas (considerando motonetas e ciclomotores) concentraram 18% do total: foram 25 motociclistas e 3 caronas. Dos motociclistas, 56% eram jovens com idade entre 18 e 29 anos enquanto esta mesma faixa etária representa 14% dos condutores. Ainda quanto ao perfil de condutores dos demais tipos veículos automotores, destacam-se aqueles com idade entre 45 e 49 anos e com idade entre 55 e 59 que representaram 15,5% do total de condutores mortos (cada), enquanto os homens idosos com idade superior a 60 anos representaram 24% do total dos condutores falecidos.


Os pedestres correspondem a 15% do total dos óbitos, destes 39% eram idosos, outros partícipes com representatividade são os ciclistas com 8 óbitos no período analisado, sendo quase a totalidade eram homens e com idade superior a 35 anos.

Ainda quanto à participação das vítimas fatais, identificou-se que 48% dos motociclistas não possuíam CNH ou estavam em condição irregular (CNH vencida, por exemplo), sendo que este índice é de 12% nos demais condutores. Outro fato é que a maioria dos condutores e motociclistas falecidos eram homens (88% do total), destes, dois eram menores de idade na condução de motocicletas.


OBS: Consideramos vítimas fatais de trânsito aquelas que foram a óbito no local do acidente, em atendimento médico ou em até 30 dias após o acidente.


RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS – CACHOEIRA DO SUL (2010 a 2019)

1. FROTA:

• RS: 7.089.198 veículos (outubro/2020)

• Cachoeira do Sul: 52.350 veículos (outubro/2020)

• Posição no Ranking de Frota no RS: 25ª maior frota do Estado

• Índice de Motorização no RS: 0,62* – A cada 100 pessoas, existem 62 veículos no Estado.

• Índice de Motorização em Cachoeira do Sul: 0,63* – A cada 100 pessoas, existem 63 veículos no município.


2. CONDUTORES:

• Total de Habilitados no RS: 5.092.737 condutores (outubro/2020)

• Total de Habilitados em Cachoeira do Sul: 33.718 condutores (outubro/2020)

• Posição no Ranking de Condutores no RS: 30º município com maior cadastro de CNH no RS.

• Índice de Habilitação no RS: 0,45* – A cada 100 pessoas, 45 possuem habilitação (CNH) no Estado.

• Índice de Habilitação em Cachoeira do Sul: 0,40* – A cada 100 pessoas, 40 possuem habilitação (CNH) no município.


3. ACIDENTALIDADE FATAL:

• Posição no Ranking de acidentes fatais no RS (todas as vias) em 2019: 12º município do RS com mais acidentes fatais, sendo 15 acidentes que resultaram em 19 mortes (5 destes nas vias municipais).

• Posição no Ranking de acidentes fatais vias municipais (2010 a 2019): 26º município com mais acidentes fatais nas vias municipais (47 acidentes fatais que resultaram em 48 mortes).

• Índice de Mortalidade no Trânsito - RS: 14,2* – São aproximadamente 14 mortos a cada 100 mil habitantes (considerando os dados de 2019).

• Índice de Mortalidade no Trânsito – Cachoeira do Sul: 22,7* – São 23 mortos a cada 100 mil habitantes (considerando as mortes que ocorreram em todos os tipos de via no ano de 2019).

*Dados de população de 2019 (FEE).


Os municípios que receberam o diagnóstico:

Alegrete Alvorada Bagé Bento Gonçalves Cachoeira do Sul Cachoeirinha Camaquã Campo Bom Canguçu Canoas Capão da Canoa Carazinho Caxias do Sul Cruz Alta Dois Irmãos Erechim Esteio Gravataí Guaíba Igrejinha Ijuí Itaqui Lajeado Montenegro Novo Hamburgo Panambi Parobé Passo Fundo Pelotas Rio Grande Santa Cruz do Sul Santa Maria Santa Rosa Santana do Livramento Santo Ângelo São Borja São Gabriel São Leopoldo São Lourenço do Sul Sapiranga Sapucaia do Sul Taquara Teutônia Torres Tramandaí Triunfo Uruguaiana Venâncio Aires Viamão


Banner para site-1.png