• Lenon Quoos

Cachoeirense é encontrada morta em Santa Catarina

No início da tarde deste sábado, 23, uma cachoeirense foi encontrada morta no município catarinense de Gaspar. Ela foi identificada como Carine Silva da Rosa, 36 anos. A Polícia Civil catarinense não descarta a possibilidade de que tenha sido um feminicídio.


O corpo de Carine foi encontrado por um casal de ciclistas num matagal localizado na Rua Theobaldo Anselmo Sansão, no bairro Poço Grande. As testemunhas acionaram a Polícia Militar. De acordo com o delegado Bruno Fernando, o corpo não apresentava qualquer sinal aparente de violência.


Carine residia num bairro conflagrado pela criminalidade, situado a cerca de 10 quilômetros do centro de Gaspar. Pessoas próximas a Carine relacionam a morte dela a um post no Facebook. Na publicação, feita no último dia 18, a cachoeirense denuncia uma situação ocorrida no começo daquela madrugada em frente à sua casa.


Segundo ela, dois carros passaram em alta velocidade em frente à casa dela, e um veículo acabou fechando o outro, com freadas. “O homem saiu do carro dele e (estava) tentando arrancar a mulher do carro dela e roubar a criança de dentro do carro enquanto a mulher gritava implorando pra ele não levar a criança”, escreveu Carine em seu perfil na rede social.


Na sequência, Carine relata que gritou na janela de casa para o homem soltar a mulher. O agressor, descrito por ela como de estatura alta, com cerca de 1m90cm, teria lhe ameaçado e também prometido atear fogo em sua casa pelo fato de ela ter entrado em discussão com ele. Ainda no mesmo post, Carine afirma que o homem disse ser policial militar e que de nada adiantaria ela fazer contato com a Polícia Militar para denunciá-lo.


MORADORA DO BAIRRO QUINTA

Antes de ir embora para Gaspar, onde trabalhava como massoterapeuta e manicure, Carine viveu parte da juventude na zona norte de Cachoeira do Sul, no Bairro Quinta da Boa Vista, de onde vários amigos manifestaram pesar pelo falecimento nas redes sociais. Ela deixa quatro filhos.


O corpo foi recolhido para o Instituto Médico Legal de Blumenau, no norte catarinense. A ocorrência policial foi registrada na Delegacia da Polícia Civil da mesma cidade.

Foto: Divulgação

Banner para site-1.png