• Da Redação

Caps realiza conferência para discutir inclusão de pessoas com transtornos mentais

No Dia Nacional da Luta Antimanicomial, nesta terça-feira, 18 de maio, uma conferência reuniu as equipes do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) II e do Caps Álcool e Drogas para refletir a luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental. O encontro aconteceu pela manhã na sede do Caps II, na Rua Marechal Floriano, e teve como tema “floresça amor por onde for, saúde mental - seu bem mais precioso”.


Os profissionais abordaram a importância da inclusão dos portadores de transtornos mentais como cidadãos com igualdade e dignidade. A luta antimanicomial combate a ideia de que se deve isolar a pessoa em nome de pretensos tratamentos. Esse movimento iniciou-se no final da década de 70 e a partir de 1987, com o Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, em São Paulo, e a Conferência Nacional de Saúde Mental, em Brasília.

A Lei 10.216/2001 trata da proteção dos direitos das pessoas com transtornos mentais e redireciona o modelo de assistência a ser oferecido. O Dia 18 de Maio foi instituído por profissionais da saúde mental que não concordavam com o tratamento desumano e cruel dado aos usuários do sistema de saúde mental. Atualmente, o Caps Saúde Mental possui em torno de seis mil cadastrados em Cachoeira do Sul, entre crianças e adultos. Na conferência deste ano, os profissionais debateram os aspectos psicológicos e psiquiátricos agravados em tempos de pandemia do coronavírus e os reflexos desta realidade no serviço de saúde pública.

Foto/Texto: Ascom SMS

Tchê Peq..png