• Da Redação

Colheita dos grãos de verão no RS se aproxima do final


A predominância do tempo seco no Rio Grande do Sul permitiu o avanço das atividades de colheita dos grãos de verão. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar na última semana, em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), as solicitações de vistorias de Proagro nas lavouras que utilizam a política de crédito rural seguem em todas as regiões do Estado. No caso da soja, cuja colheita atinge 95% no RS, foram realizadas 9.495 vistorias de Proagro. Já as solicitações de vistorias nas demais culturas e em hortigranjeiros totalizam 16.453. Os números vêm sendo contabilizados desde 01 de dezembro de 2019. Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Ijuí, o cultivo da soja está em final de colheita e a produção regional teve redução devido aos danos provocados pela estiagem. Atualmente a expressiva comercialização da produção é impulsionada pela alta no mercado. Uma modalidade que vem sendo bastante utilizada é da entrega futura, com cotação de preço acima de R$ 90,00/sc. de 60 quilos. Na região de Santa Rosa, onde 96% das áreas de soja estão colhidas, a produtividade tem se mantido em 1.926 quilos por hectare, refletindo a perda média de 41% em relação à inicial. Com o rendimento abaixo das expectativas iniciais, os produtores buscaram o amparo do Proagro nas lavouras financiadas. Durante as vistorias, são observadas plantas com grãos pequenos e chochos. Em áreas de segundo plantio, o prolongamento do estresse hídrico tem ocasionado baixo desenvolvimento das plantas, abortamento de flores e vagens e malformação de grãos. No milho, a colheita no Estado chegou a 88% das áreas cultivadas. Na regional de Santa Rosa, 87% das lavouras já foram colhidas e a produtividade é de 7.060 quilos por hectare, com perda de 11% em relação à produtividade inicial devido à falta de chuvas nos períodos em que as lavouras mais precisam de umidade. Na de Frederico Westphalen, onde 97% das áreas cultivadas foram colhidas, o rendimento médio é de 6.840 quilos por hectare. A perda na produtividade se consolidou em 21% na região; produtores também solicitam cobertura de Proagro.


Fonte: Emater

Foto: Dionatan Rigo

Tchê Peq..png