• Da Redação

Colheita do arroz supera as expectativas e Cachoeira encerra com produtividade recorde

Divulgado nesta quarta-feira pela Conab, o 8º Levantamento de Safra traz ajustes nas expectativas de produção das culturas do arroz e do trigo no Rio Grande do Sul. A colheita nacional de grãos deve atingir 271,7 milhões de toneladas, novo recorde.


A estimativa de produção estadual de arroz passou de 7,7 milhões de toneladas, no 7º Levantamento, para 8,2 milhões no atual, volume 4,3% superior ao da safra passada, de 7,8 milhões de toneladas, em área de cultivo idêntica, de 946 mil hectares. A colheita do grão está no final.


EM CACHOEIRA

Em Cachoeira do Sul, os produtores de arroz encerram nos próximos dias a colheita da safra 2020/2021, que resulta em um dos melhores resultados últimos tempos em termos de produtividade e remuneração. O mais recente levantamento do 4º Núcleo de Assistência Técnica (4º Nate) do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) aponta que os arrozeiros cachoeirenses já colheram 99% da área semeada e o rendimento hoje é de cerca de 8,5 mil quilos por hectare (170 sc/ha).


Trata-se de uma produtividade recorde. A produtividade média da safra no município poderá ficar pelo menos em 8,4 mil quilos por hectare. Como em Cachoeira foram semeados 26.970 hectares, estima-se que restam a serem colhidas áreas que somam ao redor de 2,5 mil hectares. Cachoeira deve colher nesta safra 229 mil toneladas de arroz em casca.


Hoje na cidade, o arroz tipo 1 (58% de grão inteiro) está cotado em R$ 84,20 a saca de 50 quilos. Na praça de Pelotas, o valor sobe um pouco e chega a R$ 87,25. No Brasil, praça de Boa Vista, em Roraima, é a que remunera mais nesta quinta-feira (13). Lá, a cotação está em R$ 89,50.


TRIGO

Para o trigo, que começa a ser plantado nas próximas semanas, a expectativa é de ampliação de 6% na área cultivada no Rio Grande do Sul, de 930 mil hectares em 2020 para 986 mil em 2021. A produção projetada, de 2,65 milhões de toneladas, é 17,3% maior que a da safra anterior.

Comissão

Ocorreu na manhã desta quarta-feira, 12, a primeira reunião da Comissão de Mercado e Comercialização do Conselho Deliberativo do Instituto Rio Grandense do Arroz. Criada em 2016, a comissão foi reativada agora pela Diretoria Comercial da autarquia após um período sem atividades. “Houve o entendimento, unânime, de que a reativação é uma iniciativa acertada, uma vez que dará à Diretoria Comercial maiores subsídios para tratar de questões de mercado, além de contribuir para auxiliar os produtores na tomada de decisão, embora cada um deva analisar o seu caso particular”, comenta o diretor comercial do Irga, João Batista Gomes. O primeiro encontro contou com a participação da maioria dos integrantes.


Ficou definido que serão promovidas reuniões regulares e semanais, sempre às quartas-feiras, 8h30, por videoconferência. A pauta envolverá análise do mercado por regiões, preços praticados, oferta e tendências. Eventualmente, poderá ser discutido algum tema diverso, mas que tenha relação com a pauta comercial e de mercado.

Foto: Divulgação

Banner para site-1.png