• Da Redação

Comitê se forma para analisar estiagem em Cachoeira e possível decreto de emergência

Devido ao agravamento da estiagem que assola o Município de Cachoeira do Sul e o Estado do Rio Grande do Sul, a Prefeitura de Cachoeira do Sul através da Secretária Municipal da Agricultura e Pecuária (Smap) criou um comitê para avaliar a situação da safra agrícola 2021/2022 e a possibilidade de ser encaminhado um decreto de emergência para o Governo do Estado.


O comitê teve o primeiro encontro nesta terça-feira, 04 de janeiro, e é composto pela Smap, Defesa Civil de Cachoeira do Sul, Emater, Irga, União Central de Rizicultores (UCR), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e Sindicato Rural. No encontro, o grupo avaliou a situação de todos os distritos do município, levando em consideração, principalmente, as principais cadeias produtivas, como soja, arroz, milho, pecuária e hortaliças.



De acordo com o secretário de Agricultura e Pecuária, Fernando Cantarelli, pela estimativa do comitê, o prejuízo econômico aproximado até esta terça-feira era R$ 228 milhões na soja, R$ 26 milhões no arroz, R$ 33 milhões no milho, R$ 17 milhões na pecuária e R$ 183 mil nas hortaliças, totalizando mais de R$ 304 milhões em perdas.


Junto com estes dados, ainda serão acrescentados informações sobre o abastecimento de água para as comunidades do interior, feito pela Smap e de moradores afetados, feito pela Secretaria de Inclusão Social. Todas estas informações serão repassadas à Defesa Civil para serem reunidas e logo após levadas ao prefeito José Otávio Germano para decisão sobre fazer ou não o decreto de emergência.


Nesta safra, a estimativa de plantio é de 108.220 hectares de soja, 25.582 hectares de arroz e 7.000 hectares de milho. Atualmente o rebanho bovino do Município é de 118.732 cabeças. Estes dados são do IBGE, Emater e Irga.


Foto/Texto: Patrícia Miranda

Banner para site-1.png