• Da Redação

Confinamento: Pais e filhos adolescentes

Com as aulas presenciais das escolas de todo o estado suspensas, os adolescentes estão tendo que estudar e achar formas de se entreter dentro de casa. Em isolamento social também estão a maioria dos pais, em home office ou com horários de trabalho reduzidos e, por isso, a convivência entre os pais e os filhos neste período de quarentena pode ficar um pouco complicada.  Para os alunos do Ensino Médio Senac, a rotina de estudos segue na plataforma Microsoft Teams, com aulas ao vivo no horário escolar.  A Claudia Melame é mãe do João Antonio, que tem 16 anos de idade e estuda no Ensino Médio Senac. O João manteve a rotina de acordar cedo todos os dias e continua a estudar normalmente, mas agora a Claudia também participa! “Nossos dias tem sido com aulas pela manhã, com direito a lanche, cobertor para se enrolar e umas interferidas da mãe na “sala de aula”. Um dia desses o professor de história estava falando sobre o Egito Antigo e fiquei ouvindo a aula junto com meu filho. Chegou a dar saudades dos tempos de escola, mas tive que dar privacidade para o João, pois ele disse que a aula era dele. Particularmente, estou adorando participar disso, pois meu filho está em segurança e continua tendo acesso ao ensino”, diz Claudia. A pedagoga do Ensino Médio Senac, Antônia Regina Gomes Neves, dá algumas dicas para que a boa convivência entre pais e filhos adolescentes se mantenha. Confira:

  • Mantenha a calma, todos estão sendo afetados pelo distanciamento social: Não há uma receita para lidar com os adolescentes, mas é muito importante que pais e responsáveis tenham calma e empatia para lidar com a situação dos jovens em casa, pois eles, assim como seus pais, estão lidando com muitas pressões externas: não podem sair e ver os amigos, não podem andar pelos lugares onde se sentem bem e tendo uma série de tarefas para cumprir;


  • Estabeleça rotinas: É importante estabelecer uma rotina com os jovens, com prioridades sobre as tarefas e sobre o estudo, contemplando também um tempo de descanso e de lazer. Quando é o caso de as famílias ajudarem os jovens com o acesso às aulas on-line, é importante ter em mente que os pais não precisam saber tudo, mas que devem estabelecer um diálogo com os professores e usar todas as possibilidades de pesquisa que tiverem ao alcance para manter os jovens em constante aprendizagem;


  • Conheça os interesses dos jovens: Converse com os adolescentes para compreender o que eles gostam de fazer e quais atividades chamam a sua atenção. Se o jovem é super ligado em jogos digitais, por exemplo, a família pode montar um campeonato de videogame, ou sessões de filmes juntos;


  • Seja empático: Para manter a boa convivência, a principal dica é a empatia. Todos estão se adequando a novos desafios, ao mesmo tempo em que convivem com notícias que causam grande preocupação. Com os jovens não é diferente, é preciso ter paciência e buscar estabelecer um diálogo constante, aberto e honesto para que o ambiente em casa seja um ambiente seguro e de boa convivência;


  • Reinvente as relações: O distanciamento social também serve para reinventar as rotinas e as relações em diversos âmbitos, mas isso requer esforço das famílias. Também pode-se aproveitar o tempo para dividir interesses e criar relações de afeto e parceria;

Tchê Peq..png