• Da Redação

Confira o que muda em Cachoeira do Sul com a bandeira laranja

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite anunciou na tarde deste sábado, 20, a nova classificação do distanciamento controlado das regiões do Rio Grande do Sul. Com o avanço da doença, o Rio Grande do Sul apresenta uma predominância de bandeiras laranja e vermelha, que também é o caso de Cachoeira do Sul, que passou da bandeira amarela para a bandeira laranja, de risco médio.


Conforme os novos ajustes na sistemática do modelo, os município podem apresentar recurso em até 24 horas (18h de domingo). Na segunda-feira, 22, o Gabinete de Crise fará nova análise e divulgará à tarde as bandeiras definitivas, que serão vigentes de 23 a 29 de junho.


Conforme a análise preliminar, confira o que pode mudar em Cachoeira do Sul, caso seja mantida a bandeira laranja a partir desta segunda-feira:


Casas noturnas, bares e pubs: Fechados


Eventos, teatro, cinema: Fechados


Academia de ginástica: pode operar com 25% dos trabalhadores e seguindo protocolos da Secretaria de Saúde.


Clubes sociais, esportivos e similares: Fechados


Reparação e manutenção de objetos e equipamentos: pode operar com 50% dos trabalhadores seguindo protocolos.


Lavanderias: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Serviços de higiene pessoal (cabeleireiros e barbeiros): podem operar com 25% dos trabalhadores.


Bancos, lotéricas e similares: podem operar com 75% dos trabalhadores.


Missas e serviços religiosas: podem ocorrer com 25% do público.


Imobiliárias e similares: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Serviços de advogacia, contabilidade, consultoria e similares: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Comércio de veículos: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Manutenção e reparação de veículos: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Comércio atacadista não essencial (rua): pode operar com 50% dos trabalhadores.


Comércio varejista não essencial (rua): pode operar com 50% dos trabalhadores.


Centros comerciais e shoppings: pode operar com 50% dos trabalhadores e 50% da capacidade de público.


Comércio Varejista de Produtos Alimentícios: pode operar com 75% dos trabalhadores.


Comércios varejistas e atacadistas de serviços essenciais: podem operar com 75 % dos trabalhadores.


Construção Civil: pode operar com 50% dos trabalhadores.


Indústrias de alimentos e bebidas: pode operar com 100% dos trabalhadores seguindo protocolos da Secretaria Estadual de Saúde.


Transporte coletivo urbano: pode operar com 60% dos assentos.


Transporte intermunicipal: pode operar com 75% dos assentos ocupados.


Restaurantes a la carte, lanchonetes e Padarias: podem operar de forma presencial, com 50% dos trabalhadores e seguindo protocolos de saúde.


Restaurantes buffet: Fechados


Hotéis e similares: podem operar com 50% dos quartos.


Foto: Divulgação

Tchê Peq..png