top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Falta de monitores nas escolas municipais é denunciada ao Ministério Público

Após constantes tentativas de resolução do problema da falta de monitores nas escolas municipais junto à Secretaria da Educação (SMEd) de Cachoeira do Sul, uma denúncia foi protocolada no Ministério Público nesta semana.


Desde o início do ano letivo, as reclamações vem aumentando constantemente. Em março, uma manifestação de pais ocorreu na Escola Mário Godoy Ilha, na Volta da Charqueada, que chegou a ficar três dias paralisada em protesto pela falta de monitores para acompanhamento de alunos com necessidades especiais.



Cansados de aguardar por uma solução, a presidente do Conselho Municipal Dos Direitos das Pessoas com Deficiência (CMD), Alessandra Schultz, entregou um ofício ao MP na terça-feira, 2 de abril, explicando todo o transtorno que os pais destas crianças vem passando. Segundo ela, recorrer ao órgão fiscalizador trata-se de um ato de desespero e pedido de socorro, com o objetivo de obter alguma resolução mais rápida para esse problema. O caso ficará a cargo da Promotoria de Justiça Especializada. O documento traz diversos relatos de mães e pais que pediram o apoio do Conselho sobre o tema.


"É um direito da criança frequentar a escola. Tenho um filho PCD e ele está desde setembro do ano passado sem frequentar a escola. Como mão já fiz de tudo e não tive retorno. Sinto que as nossas crianças estão invisíveis perante à sociedade, não são vistos. Não existe empatia. Vamos seguir cobrando junto com os pais a Secretaria Municipal de Educação. Alguém tem que tomar uma providência. Tem que existir uma solução", conta.


Atualmente, conforme a SMED possui 120 monitores para atender mais de 160 crianças com deficiência. O efetivo é considerado baixo, mas a Prefeitura argumenta que não consegue aumentar esse quadro em razão da situação financeira.



Comments


bottom of page