top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Fiocruz vai começar a distribuição de antirretroviral combinado para o SUS

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) inicia, neste mês de outubro, o fornecimento de uma combinação inédita com dois medicamentos eficazes para pacientes com HIV/Aids. O regime de dosagem simplificada com os antirretrovirais Dolutegravir 50mg + Lamivudina 300mg representa um avanço para o Sistema Único de Saúde (SUS), oferecendo mais facilidade e praticidade para o tratamento.


O Dolutegravir 50 mg + Lamivudina 300 mg é fruto de uma aliança estratégia, assinada entre Farmanguinhos/Fiocruz e as empresas farmacêuticas ViiV Healthcare Company e GlaxoSmithKline.


Tradicionalmente, o tratamento do HIV envolvia combinações de vários medicamentos de diferentes classes para suprimir efetivamente o vírus e retardar a progressão da doença. Uma única dose diária de um comprimido deste medicamento garantirá a eficácia e auxiliará na continuidade do tratamento, com menor potencial de toxicidade e de efeitos adversos graves, não havendo histórico nenhum de resistência.


Para este ano a previsão solicitada pelo Ministério da Saúde (MS) é de 10,8 milhões e para 2024 serão fornecidas 30 milhões de unidades farmacêuticas. O diretor de Farmanguinhos/Fiocruz, Jorge Mendonça, destaca a importância deste produto para o SUS. “O fornecimento destes medicamentos combinados para o SUS contribuirá significativamente para a efetividade e continuidade dos tratamentos em pacientes adultos e adolescentes com mais de 12 anos de idade e peso mínimo de 40 kg. Além de ter dosagem mais simples e redução da carga de comprimidos, diminui o potencial para interações medicamentosas e efeitos colaterais”, explica o diretor.


O Dolutegravir 50 mg + Lamivudina 300 mg é fruto de uma aliança estratégia, assinada em julho de 2020, entre Farmanguinhos/Fiocruz e as empresas farmacêuticas privadas ViiV Healthcare Company e GlaxoSmithKline (GSK). A aliança visa o desenvolvimento, transferência de tecnologia e o fornecimento do medicamento, dando autonomia para uma produção totalmente nacional. Desde maio de 2022, quando a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) deferiu o peticionamento de Farmanguinhos, o Instituto tornou-se apto para fornecer a demanda deste medicamento para o MS.


“Ao final desta transferência de tecnologia, Farmanguinhos/Fiocruz estará com autonomia para realizar todas as etapas produtivas do medicamento, garantindo qualidade e praticidade para os pacientes do SUS. É importante ressaltar que com esta aliança, adquirimos também mais conhecimento técnico e uma nova plataforma tecnológica para a produção de comprimidos em dupla camada, possibilitando a produção futura de novos produtos”, destaca o diretor Jorge Mendonça. Farmanguinhos tem conseguido cumprir com o cronograma da aliança estratégica e, além deste medicamento, atende 100% dos pedidos realizados pelo MS, entregando medicamentos importantes para o SUS.


Pioneirismo e protagonismo

Farmanguinhos/Fiocruz é o principal distribuidor de antirretrovirais para o SUS. Além do Dolutegravir e da Lamivudina, em doses separadas, são distribuídos outros sete medicamentos: Atazanavir, Efavirenz, Zidovudina, Nevirapina, Lamivudina + Zidovudina, Fumarato de Tenofovir Desoproxila + Lamivudina e Entricitabina + Fumarato de Tenofovir Desoproxila.


Em 1999 o Instituto produziu o primeiro antirretroviral, a Zidovudina (AZT). Outro grande marco para o país foi a produção e distribuição do Efavirenz, fruto do primeiro caso de licenciamento compulsório realizado no Brasil, em 2007. Além de focar no tratamento da doença, o Instituto contribui também na prevenção, fornecendo o medicamento Entricitabina + Fumarato de Tenofovir Desoproxila, usado na Profilaxia Pré-exposição ao HIV (PrEP), que funciona como uma espécie de barreira química contra o vírus.

Imagem: Reprodução.

Comentários


bottom of page