top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Igor Noronha | Giro da Semana

ESCREVER É GRATIFICANTE

Na primeira coluna do ano (a 160ª) quero falar da satisfação, não somente de escrever, mas do retorno que esta prática semanal tem dado. Quem escreve não o faz para si, assim como quem dá uma aula. Encontrar pessoas que são leitores assíduos ou que dizem que nos conhecem pelas páginas do Fatos24hs é gratificante e aumenta minha responsabilidade quando penso e escrevo cada tópico. Aos leitores, nossa razão de escrever, meu muito obrigado.


SANEAMENTO

O professor de Sociologia, Ronaldo Tonet compartilha estudo comparado numerando itens que mostram que a entrega que fazem à AEGEA é prejudicial ao município. Mais prazo à universalização, limitação desta, que não vai mais ao interior, renúncia do poder concedente (município) na fiscalização, menos recursos via fundo compartilhado e para eventos culturais, entre outros. Na ação que tramita na justiça o MP, que deveria “promover a justiça” disse que está tudo bem. Só uma informação: o ex-chefe estadual do órgão deixou a carreira para assumir importante cargo na empresa que ganhou do governo gaúcho, a preço de banana, a concessão.


OS “INTERÉSSES”

A expressão foi talhada pelo saudoso Leonel Brizola, sintetiza bem a posição do grupo majoritário de comunicação da cidade: estão recebendo verba publicitária da AEGEA, por isso dizem que ela é a melhor. E tem muito cachoeirense que imagina que não estamos melhores por causa dos que pedem votos. Lembrar a grande economista Maria da Conceição Tavares que já falou sobre este tipo de interesse pela política e o papel de responsabilidade da imprensa, que não deve estar apaniguada com o Poder, é sempre atual.


FAPS

Usar como escudo de defesa ao parcelamento uma grande conquista à cidade como o Curso de Medicina é de uma irresponsabilidade sem tamanho. Se estão imbuídos dos melhores propósitos para nossa gente que pressionem a Prefeitura a cumprir com seus compromissos, que ajudem na gestão fiscal e financeira responsável, sem pressão por mais endividamento.


NOSSO FUTURO

Nossas potencialidades nas áreas da educação, saúde, turismo e economia terão oportunidade de definição dos seus rumos este ano, na eleição de outubro. Espero que tenhamos aprendido com as promessas e discurso fácil de 2020. Reverter o rastro de destruição, moral, ética, patrimonial e financeira, deixado pelo projeto que venceu as últimas eleições, não serão tarefa fácil.


NOSSO FUTURO II

Nunca uma eleição será tão importante, tanto para o Executivo quanto para o Legislativo, afinal não esqueçamos que tudo chegou aonde chegou, foi também pela omissão na fiscalização e cooptação do poder representativo do povo pela troca de cargos na Prefeitura.


DANOS

As fortes chuvas que caíram sobre nós fizeram um rastro de destruição. Para dar conta disso foi exposto um problema de anos: a falta de pessoal e maquinário na Prefeitura para dar conta das responsabilidades. Conversando com quem viveu os cenários do anterior e do atual governo é possível perceber um avanço no sucateamento no material. Responsabilidades precisam ser apuradas.


RÓTULA

Ninguém imagina as 5 Esquinas sem a sua. Deu agilidade e fluxo ao trânsito dali. A comunidade do entorno do Passo da D’areia, Ferreira e Aeroporto de Cachoeira do Sul está reivindicando a sua na esquina da VRS 809 com a Av. Theobaldo Carlos Burmeister, a entrada do Aeroporto Comandante Laudelino Bernardi. A uns 400 metros dali outra (ou um trevo), já anunciada, se faz necessária: a entrada da UFSM. Esperamos que vire realidade logo.


PERIGO

A notícia de que nem 10% das escolas estaduais de educação básica têm planos de prevenção e combate a incêndio é mais uma contradição de um governo que diz que será o da educação, mas o que se vê é espetacularização da “inovação”, via aparelhagem tecnológica, andando paralelemente com escolas sucateadas. Em 176 unidades quase 2 mil problemas que vão de infiltrações ao esgoto.


PERIGO II

Ano passado foi lembrado os 10 anos da tragédia da Boate Kiss. No episódio autoridades públicas saíram impunes, mas parece que não aprenderam a lição. Não quero ver nenhum pai, mãe, familiar ou amigo chorar a vida dos seus por conta da negligência em escolas públicas gaúchas.


Igor Noronha de Freitas.

 


Comentários


bottom of page