top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Inquérito policial apura procedimento correto atribuído à policial cachoeirense após homicídio em Santa Cruz

No dia 12 de janeiro deste ano, Jonatham William Ferreira, de 27 anos, morreu após ser atingido por disparos na Rua Projetada 04, no Loteamento Berçário Mãe de Deus, no Bairro Santuário. O inquérito da morte de Jonatham chegou ao fim e apontou legítima defesa por parte dos policiais que efetuaram os disparos, dentre eles o cachoeirense Soldado Cássius Zanenga.


A guarnição havia sido acionada em razão de uma ameaça de morte que Jonatham teria proferido contra um cunhado. A equipe chegou à residência na hora em que ele voltava com uma arma longa. Os PMs pediram para ele largá-la, mas não obedeceu e disse que ia atirar no cunhado. Após apontar a arma para um policial militar, foi alvejado três vezes, uma pelo PM que ficou na mira de Jonatham e outras duas pelo colega policial, vindo a falecer posteriormente no Hospital Santa Cruz.


“Nesse caso, a comprovação é fatídica. A arma de fogo foi apreendida e testemunhas presenciaram o fato. Inclusive, um dos grandes pontos é a declaração dos próprios familiares, que se não tivesse a intervenção policial, possivelmente uma pessoa ameaçada nessa briga familiar teria sido morta”, comentou o coronel Giovani Paim Moresco.


Um inquérito também foi instaurado pela Polícia Civil. Conforme o titular da 2ª DP, delegado Alessander Zucuni Garcia, o procedimento foi finalizado sem indiciamentos. Concluiu-se que os dois PMs, incluindo Zanenga, agiram em legítima defesa própria e de terceiros.

Imagem: Jonatham William Ferreira tinha 27 anos/ Arquivo.

Comments


bottom of page