top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Jéssica Oliveira | O que você sabe sobre as construções vernaculares?


A arquitetura vernacular é uma tipologia construtiva e arquitetônica baseada no uso de materiais e técnicas que valorizam a preservação do meio ambiente, possui características culturais e tradicionais de cada região onde é aplicada.


O objetivo é constituir soluções que se adaptam ao clima, à temperatura e às condições da região pensando na praticidade e no menor custo da construção. Este estilo arquitetônico pode parecer simples, mas também prioriza o conforto e a funcionalidade, sendo elementos necessários para qualquer tipo de construção.

A arquitetura vernacular surgiu com a necessidade de os seres humanos construir abrigos para se proteger das condições climáticas. No período neolítico as populações gradualmente foram deixando de ser nômades e assim surgindo povoamentos fixos, grande parte dos materiais utilizados eram madeira, cobertura vegetal, barro e tijolo ecológico entre outros materiais disponíveis na região.



Lucio Costa foi um dos principais investigadores da arquitetura vernacular no Brasil, na segunda metade do século XX, caracterizou a história arquitetônica brasileira com exemplos de norte a sul do país, como as ocas, construções em palafitas, que são as recorrentes em locais alagadiços, sendo elevadas do solo, taipa de pilão no período colonial entre outros. As construções vernaculares surgidas de modo instintiva por gerações anteriores estão tendo suas técnicas aprimoradas e mais sofisticadas.


Algumas características de soluções bioclimáticas dessa técnica construtiva são:

Regiões de clima quente e seco: materiais mais pesados, construídas diretamente sobre o solo e com coberturas planas, fachadas pintadas em cores claras e com pequenas aberturas, pátios internos com fontes ou espelhos d’água, paredes mais espessas.


Regiões de clima frio: estruturas elevadas do solo, materiais com baixa transmissão térmica, coberturas de média inclinação, paredes mais espessas e fachadas com amplas aberturas onde há mais incidência de luz solar.

Regiões de clima quente e úmido: construções elevadas, materiais leves, coberturas com grandes inclinações, aberturas que possibilitem a ventilação cruzada, paredes mais finas e varandas.


A arquitetura vernacular tem sido discutido e utilizada em muitas construções contemporâneas pois as características bioclimáticas são exemplos de sustentabilidade arquitetônica visando a diminuição do uso de energia com estratégias passivas de conforto termoacústico e emitindo o menos possível de CO2 no meio ambiente.


Além disso a arquitetura vernacular pode conduzir a estética e o design da edificação, podendo ser inseridos em elementos externos e internos com a utilização de materiais locais e também na concepção do projeto com grandes aberturas, varandas, diretamente no solo ou elevada, entre outras características.


A arquitetura vernacular é, portanto, diretamente relacionada ao contexto da região em que está inserida, influenciada pelas condições geográficas e aspectos culturais, são construções singulares justamente por essas características, sendo um meio de afirmação da identidade do local atendendo as necessidades especificas, valores culturais, economias e modo de vida.


Jéssica Oliveira

Comentários


bottom of page