• Da Redação

Nilton Santos | A "coragem" do Governador

O assunto do momento é a declaração dada pelo governador Eduardo Leite no programa comandado por Pedro Bial, pela qual assume a sua opção sexual. Li e ouvi elogios à sua coragem ao assumir-se como gay, o que denota como a sociedade brasileira é hipócrita, que enxerga como ato de destemor algo tão natural, indissociável à nossa essência como indivíduo, que os moralistas de plantão rotulam e colocam na prateleira da imoralidade, quando se devia classifica-la como condição ligada à dignidade humana; o direito de cada um exercer a sua opção sexual sem que seja reconhecido como um ato de coragem, que para isso seria necessário pedir licença a quem quer que seja por ser quem é.


Penso que a posição adotada pelo nosso governador, antes de ser um ato de coragem e "libertação", tem muito de senso político, posto se coloca em rota de colisão com as declarações de cunho homofóbico que volta e meia profere contando com o voto e simpatia dos falsos “moralistas”.


Leite, cotado por seu partido para concorrer à presidência em 2022, com a atitude pessoal e política, se posta no cenário político como alternativa à polarização que está se criando entre os apoiadores do atual presidente e os de Lula, ambos muito desgastados perante boa parte do eleitorado.


Queiramos ou não, felizmente, a sociedade está se livrando de preconceitos sem nenhum sentido, mas que dizem muito do caráter dos “defensores da família e da moral”, na verdade muitos deles falsos pregadores de uma moral da qual são despidos, pois suas atitudes, às escondidas, demonstram o contrário. Lamento que questões que dizem respeito à liberdade e íntimo das pessoas, ainda sejam consideradas como atos de coragem, quando, em verdade, apenas revelam a multiface da nossa própria condição humana.


Nilton Santos

Banner para site-1.png