top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Oficina de Parentalidade em Cachoeira do Sul oferece orientação para casais em processo de separação

A Comarca de Cachoeira do Sul realizou, na última semana, a 1ª Oficina de Parentalidade , promovida pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) local. Participaram do evento, que ocorreu no Salão do Júri do Foro, as partes envolvidas de 23 processos cíveis familiares, nos quais os conflitos são mais complexos. A servidora da Comarca, Alessandra da Silva Nogueira, conduziu a dinâmica.


A Oficina de Parentalidade é um programa educacional-interdisciplinar que foi desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para auxiliar na fase de reorganização familiar. O programa se apoia na literatura sobre os efeitos do divórcio/separação e na importância dos pais e demais membros da família buscarem maneiras saudáveis de lidar com o término do relacionamento.


No primeiro dia, o atendimento foi direcionado aos autores dos processos. As partes requeridas na mesma ação compareceram no dia seguinte. Uma sessão de mediação familiar foi agendada em cada processo, no prazo de até 20 dias após a conclusão da oficina, no intuito de buscar o diálogo e entendimento entre as partes.


A Juíza de Direito Rosuita Maahs, Coordenadora do CEJUSC de Cachoeira do Sul, reforça a necessidade da orientação promovida pelo programa. “A realização da Oficina de Parentalidade é muito importante porque orienta as famílias que enfrentam a fase de reestruturação familiar, em decorrência da ruptura do laço conjugal dos pais, vindo a auxiliar todos os seus integrantes a superarem as eventuais dificuldades inerentes a esta fase”, conta a magistrada.


Além das partes, o programa contou com a presença de alunos do Curso de Formação de Mediador e Conciliador Judicial, realizado na Comarca no mês de maio deste ano.

Imagem: Reprodução.

Comments


bottom of page