top of page
  • Lenon Quoos

Prefeitura busca reduzir pela metade gasto com processamento do lixo em Cachoeira

No Instituto Brasil de Tecnologia e Inovação, a comitiva cachoeirense em Brasília priorizou a busca de novas tecnologias para o processamento e destinação dos resíduos sólidos, visando reduzir os custos com o tratamento do lixo – que hoje significa em torno de R$ 10 milhões ao ano aos cofres municipais – e uma solução mais eficiente no aspecto ambiental.


A proposta do governo municipal é de firmar um acordo de cooperação técnica com a finalidade de desenvolver estudo para a elaboração de um Termo de Cooperação e Parceria de um projeto de gestão de resíduos sólidos em aterro municipal ou semelhante com vistas à sustentabilidade financeira e ambiental de um futuro empreendimento a ser desenvolvido pelo município, ou agente terceirizado, para destinação final dos resíduos sólidos.


O estudo, explica o secretário municipal de governo, Fernando Cantarelli, não teria custo à Administração Municipal e poderia vir a significar uma economia com o processamento do lixo da ordem de até R$ 400 mil por mês, podendo chegar na cifra de R$ 5 milhões ao ano. “Assumido um novo formato, adicionaríamos as cooperativas que já atuam na coleta seletiva, mantendo empregos e podendo gerar novos postos de trabalho. A proposta passa agora para avaliação da Procuradoria Jurídica”, explicou Cantarelli.

Crédito: Ascom Prefeitura.

Comments


bottom of page