• Da Redação

RGE instala postes nas residências de famílias em vulnerabilidade social

A RGE iniciou na tarde desta sexta-feira, 11 de junho, a colocação dos postes dentro do novo padrão de entrada de energia elétrica, que foram doados através de negociação que uniu esforços do secretário municipal de Indústria e Comércio, Pipa Germanos, e do secretário municipal do Trabalho e Ação Social, Itamar Luz. Ao todo são 200 postes. O só nesta sexta foram instalados postes em 10 residências da Vila Nova. Neste sábado, o trabalho segue no Bairro Noêmia. Cerca de 80 casas já estão cadastradas.

O programa é direcionado a famílias de baixa renda que estejam sem energia elétrica, ou mesmo que estejam com ligações clandestinas, os populares “gatos de luz”. “Se tiver poste com relógio, ou mesmo só o contador instalado na parede funcionando, a troca não pode ser feita. O projeto é para famílias pobres que estejam sem luz, ou quando existe mais de uma residência no mesmo terreno, com pátio independente, mas que puxam luz uma das outras. Agora cada família poderá ter a sua conta de luz separada”, explica Itamar.


Depois da instalação, automaticamente as residências terão direito a classificação como consumo de baixa renda por seis meses. Porém, neste período deverão levar ao escritório da RGE uma cópia atualizada da folha resumo do Cadastro Único para permanecerem com direito à classificação de baixa renda.

As famílias interessada podem entrar em contato com a Stas, na esquina das ruas 15 de Novembro e General Câmara, antigo prédio da Exatoria Estadual. Os telefones para agendamento são 3724-6005 e 3724-6016. Também será feito um cadastro reserva, já que para o ano seguinte a RGE comprometeu-se em doar mais duzentos postes para as novas ligações no padrão construtivo, que é exigido desde 2019.


CUSTO ELEVADO

Segundo o funcionário da RGE, Sandro Almeida, que veio a Cachoeira do Sul fazer o levantamento das famílias a serem beneficiadas e avaliar os requisitos técnicos exigidos, cada poste no novo padrão custa hoje no mercado de R$ 1.800,00 a R$ 1.900,00. Conforme ele, o trabalho da distribuidora do Grupo CPFL na mudança de padrão tem como objetivo tornar as instalações mais seguras e atender as alterações de carga em algumas categorias. “Reforça-se com isso, o compromisso com a segurança e melhoria contínua dos serviços prestados, respeito ao meio ambiente, à legislação e ao contrato de concessão vigente”, declara Almeida.


REQUISITOS

*Ter pátio individual, ainda que seja mais de uma casa no mesmo terreno;

*Não possuir ligação de energia elétrica, ou mesmo possuir ligação clandestina;

*Imóvel não ser invasão de área verde ou de particular;

*Não estar distante a mais de 30 metros da rede de energia elétrica convencional.

Foto: Ascom Prefeitura

Banner para site-1.png