top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Traumatologista Bruno Barreto fala sobre a extensa fila das cirurgias do SUS em Cachoeira


O traumatologista Dr. Bruno Brum Barreto a usou a tribuna popular na sessão ordinária desta segunda-feira, 6 de novembro, da Câmara Municipal de Vereadores para falar sobre a fila das cirurgias de traumatologia no Sistema Único de Saúde (SUS), em Cachoeira do Sul.


Dr. Bruno usou o espaço para relatar o que vem acontecendo nos últimos dois anos, quando a traumatologia começou a receber alguns aportes desde então para cumprir cirurgias eletivas. "Nós temos obrigatoriedade perante ao Governo do Estado a realizar 70 cirurgias ao mês dentro do HCB, conforme determinação da 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, que abrange Cachoeira e outros municípios da região Centro-Serra. Além disso temos 420 consultas a realizar mensalmente. Na grande maioria das vezes extrapolamos esses números, em virtude do aumento do número de traumas. Geralmente cumprimos a meta ou fazemos um pouco mais. Tiveram meses que, inclusive, fizemos 90 cirurgias", explicou.

Conforme o médico especialista, esse aumento da demanda se torna um problema, já que cirurgias de urgência, como fraturas e lesões agudas em que os pacientes são atendidos na emergência e encaminhados para a traumatologia são casos que os médicos precisam resolvê-los mais rapidamente. "Acontece que as cirurgias ortopédicas eletivas, a considerar tipos de lesões de meniscos, ligamentos do joelho, ligamento dos tendões do ombro, não são consideradas urgências. Essa demanda acaba acumulando, conseguimos dar vazão nas consultas, mas não resolver efetivamente os problemas dos pacientes", ressalta.


Dr. Bruno conta que quando chegou em Cachoeira há sete anos, a realidade era ainda pior. "Existia um problema muito grave, soube de casos que estavam há seis, sete anos aguardando uma cirurgia. Eu como ortopedista tenho conhecimento das consequências de esperar por um problema dessa natureza e ele não ser resolvido, tornando-se muitas vezes catastróficas, levando os pacientes a incapacidades, saindo do trabalho, abalando diretamente a qualidade de vida dos pacientes", informou.


O médico conta que conheceu a realidade do HCB, através do superintendente Luciano Morschel e também da Secretaria Municipal da Saúde na gestão de Sérgio Ghignatti, oportunidade em que a pasta era ministrada pelo atual vereador Marcelo Figueiró.


Finalmente após ter ido atrás e reivindicado inclusive no Legislativo a busca pelos aportes financeiros, que aconteceram na gestão de José Otávio Germano, até mesmo por fazer parte da pauta de campanha da eleição de Zé Otávio. "Vieram recursos via deputados. O HCB então começou a resolver essas demandas juntamente com a sua classe médica, fisioterapeutas e toda a estrutura de exames", enfatizou.


Com o aporte financeiro destinado ao HCB foram realizadas entre 1º janeiro de 2022 até 30 de outubro de 2023, 420 consultas, 28 pacientes neste período se recusaram a fazer cirurgia, além de 133 procedimentos realizados e 100 exames de ressonância magnética. Com a verba foram custeados os pré-operatórios dos pacientes, com exames de sangue, eletrocardiogramas, consultas com cardiologistas, para que ocorresse de forma segura.


Dr. Bruno fez questão de alertar aos vereadores de que existe essa demanda de saúde, como tantas outras, mas que como figura de quem recebe queixas de pacientes diariamente no consultório de traumatologia do HCB, questionando sobre demoras na espera de cirurgias e procedimentos, afirma se tratar de uma questão triste e sensível, mas que também se trata de uma questão articulação política para que ocorram as suas resoluções.


"Peço encarecidamente para que os parlamentares atentem para esse projeto que aconteceu e que atualmente vem acontecendo mais devagar, mas a medida que vamos recebendo muitos pacientes e a saída é muito pouca, essa fila acaba se acumulando. Atualmente em toda a região temos mais de 600 pacientes na fila de espera. Provavelmente pelo menos 50% destes estão em Cachoeira. Sabemos das emendas impositivas da Câmara e da influência que os vereadores possuem junto a deputados e a Câmara Federal para dar seguimento a esse projeto que deu certo, que traz luz à vida de muitos pacientes, melhora na patologia de muitas doenças e que traz de volta a qualidade de vida para esses pacientes", explica.


QUEM É DR. BRUNO BARRETO?

Bruno Brum Barreto é ortopedista, cirurgião de ombro e cotovelo e trabalha há sete anos em Cachoeira do Sul.


Comments


bottom of page