top of page
  • Foto do escritorDa Redação

UFSM Cachoeira realiza pesquisa pioneira com veículos autônomos em miniatura

Quem cresceu assistindo a filmes futuristas e imaginava que, em 2030, já haveria carros voadores, terá que esperar mais um pouco. Mas há boas notícias em relação ao desenvolvimento de veículos autônomos, ou seja, sem motorista: um em cada dez carros não precisará de condutor até o início da próxima década, de acordo com estimativas da Statista, empresa alemã especializada em dados de mercado.



Com o objetivo de compreender os impactos dos veículos autônomos no trânsito, está em andamento na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus de Cachoeira do Sul, uma pesquisa realizada pelo Laboratório de Mobilidade e Logística (LAMOT), do curso de Engenharia de Transportes e Logística. O diferencial do projeto é o uso de miniaturas em pesquisas sobre veículos autônomos, considerado inédito pelos pesquisadores. “Existem muitas competições de corrida com veículos em miniatura, mas pesquisas sobre mobilidade urbana com esses veículos não existem em nenhum lugar do mundo. Nós vamos ser os pioneiros”, destaca Felipe Caleffi, professor do curso de Engenharia de Transportes e idealizador do projeto. O professor explica que a opção por veículos em miniatura se deu tanto por fatores jurídicos, quanto pelo aspecto financeiro. “Não poderíamos começar com um veículo de tamanho real, porque a legislação brasileira não prevê ainda carros autônomos. Além disso, fica bem mais barato começar o projeto com miniaturas”, detalha.


O grupo de 24 integrantes liderado pelo professor irá construir quatro veículos. Destes, dois carros serão programados para seguir todas as regras do Código Brasileiro de Trânsito, enquanto os outros dois vão representar o comportamento de motoristas humanos que cometem infrações. O objetivo é avaliar como os veículos autônomos reagem a esses comportamentos. O “cérebro” do carro será um microcomputador produzido pela Nvidia, empresa americana de computação, que armazenará as instruções por meio da linguagem de programação Python. Seus “olhos” são duas câmeras: uma que emula a capacidade do olho humano de medir profundidade e distância; outra, comum, que identifica cores e objetos. Um sensor infravermelho instalado sobre o teto garantirá um mapeamento de 360º ao redor do veículo.


O custo total de cada miniatura é de R$ 12,5 mil, o que torna o valor a ser investido a maior dificuldade para a realização do projeto, de acordo com o professor de engenharia. Segundo Caleffi, ele tem a ideia de trabalhar com miniaturas autônomas desde 2019 e, somente em 2022, recebeu recursos para colocá-la em prática. A pista de testes dos veículos será uma maquete baseada nos pontos mais movimentados de Cachoeira do Sul. Para sua construção, os alunos coletarão dados por meio de fotos, vídeos e medições da via. Dentro da maquete, serão adicionados obstáculos já habituais para os motoristas brasileiros. “Não temos certeza se o veículo vai conseguir dirigir bem aqui, por conta da pavimentação e sinalização ruins, além dos motoristas agressivos. Vamos simular todos esses problemas para ver se o carro vai conseguir reconhecê-los e tomar uma decisão”, explica Caleffi.


Caso o estudo aponte que os veículos não são capazes de circular com segurança, alunos do curso de Arquitetura, que colaboram com a pesquisa, ficarão responsáveis por pensar os ajustes necessários para garantir a trafegabilidade.


Para os próximos passos do projeto, o grupo aguarda a chegada de uma impressora 3D especializada na impressão de grandes objetos, por conta da escala 1/10 em que a maquete e o veículo serão construídos, o que significa que todos os elementos do projeto terão 10% do seu tamanho real. O professor estima que os veículos vão ser construídos e comecem a andar até o final de 2023. Quando os veículos autônomos em miniatura estiverem consolidados, o passo seguinte do projeto será construir um veículo autônomo em tamanho real e solicitar permissão dos legisladores para realizar testes pelas ruas da cidade de Cachoeira do Sul.

Foto: Ilustrativa

Comentarios


bottom of page