top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Colheita do milho chega a 68% da área plantada no RS

Aberta oficialmente na terça-feira, 27 de fevereiro, em evento realizado na Agropecuária Canoa Mirim, no município de Santa Vitória do Palmar, na região Sul, a colheita do milho avançou pouco na última semana. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira, 29 de fevereiro, a atividade chega a 68% da área implantada no Rio Grande do Sul.


Na Fronteira Oeste, em Manoel Viana, a colheita atinge 90% da área cultivada. Em São Borja, os produtores estão animados com o leve aumento nos preços do milho e mantendo a produção colhida armazenada em busca de comercialização mais vantajosa nos próximos meses. Em São Gabriel, algumas lavouras afetadas pela estiagem durante o período crítico de pendoamento/floração estão sendo destinadas à produção de silagem.


Na região de Caxias do Sul a colheita do milho foi iniciada, mas o rendimento está pouco abaixo da expectativa inicial. Essa queda referente às lavouras semeadas no cedo foi influenciada pelas condições climáticas da primavera, que foi excessivamente úmida com alta nebulosidade e pouca incidência de luz para as plantas.


A colheita chegou a 90% da área na região de Erechim. Segundo a publicação, o preço baixo preocupa, principalmente em função da proximidade do vencimento dos financiamentos de milho no final de março.


A produtividade obtida na região de Frederico Westphalen é de 6.330 kg/ha, representando redução de 23% em relação à expectativa inicial. E na de Ijuí a colheita segue mais lenta, conforme a maturação das lavouras. As cooperativas e os cerealistas estão se programando para receber o produto até o início de março, quando as instalações destinadas ao recebimento de grãos serão direcionadas à cultura da soja.


A produtividade ainda mantém grande variabilidade, destacando-se o município de Cruz Alta, onde as lavouras apresentam as maiores produtividades. Em Três Passos e Tenente Portela, ocorreram reduções de produtividade devido à incidência de doenças, em especial estria bacteriana.


A colheita atinge 37% na região de Santa Maria, e as lavouras de milho, devido à sua natureza, têm sofrido mais em função das chuvas irregulares. Outro problema tem sido o ataque de cigarrinha, que transmite diversos patógenos, causando queda da produtividade.


O valor médio pago aos produtores pela saca de 60 quilos, conforme o levantamento semanal de preços realizado pela Emater/RS-Ascar no Estado, teve redução de 0,08%, quando comparado à semana anterior, passando de R$ 52,14 para R$ 52,10.

Imagem: Emater

Comments


bottom of page