top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Com pouca mão de obra e maquinários, Prefeitura segue atuando em pontos para recuperar estragos das chuvas

Desde setembro de 2023, os cachoeirenses vêm sendo atingidos com frequência por eventos adversos que tem assolado o município. Foram pelo menos 5 eventos de grande proporções, mas o que deixou mais marcas foram as chuvas intensas com vendaval no dia 22 de dezembro, quando choveu 160 mm em menos de uma hora.


Após esse dia são necessários planejamentos diários, pois os problemas ainda estão surgindo, como por exemplo, o colapso da galeria na Rua Marechal Floriano identificado na noite de quarta-feira. O trabalho de recuperação começou no dia seguinte, mas ainda não há previsão de liberação de trânsito no local.



A enxurrada também danificou a pavimentação na Rua Moron, principalmente no ponto que acontece a entrada e saída de caminhões da balsa Deusa do Jacuí. Para resolver esse problema, a Secretaria de Obras fez uma parceria com os proprietários da balsa e o serviço já foi realizado. A Secretaria de Obras e de Agricultura trabalharam no local, a Prefeitura cedeu areia e os responsáveis pela balsa custearam os calceteiros para recolocar as pedras no local.


A recuperação da pavimentação da Rua Conde de Porto Alegre é outro serviço que vem sendo feito pela Secretaria de Obras. Um lado da via já está liberado, mas a equipe segue trabalhando para liberar a outra pista.


AJUDA HUMANITÁRIA – A Prefeitura está executando ações de ajuda humanitária para as famílias atingidas pela enxurrada do dia 22 e 127 cestas básicas foram entregues em 24 de dezembro e outras 335 estavam à disposição das famílias nesta sexta, junto com 462 kits de limpeza, todos eles vindos da Defesa Civil do Estado

“Toda a Prefeitura está trabalhando no enfrentamento destes desastres. Além disso, contamos com apoio das forças de segurança do estado e do Exército Brasileiro”, destacou o superintendente da Defesa Civil, Edson das Neves Júnior.


494 imóveis foram afetados

A Defesa Civil, após o cadastramento das famílias, levantou que, somente na enxurrada, foram 494 imóveis afetados e mais de 1.000 pessoas atingidas. Já foram feitas 168 vistorias em residências e 7 casas foram notificadas para fins de interdição. Ainda há 48 casas por serem avaliadas.


Para enfrentar este problema, o Governo Municipal vinha realizando diferentes ações, como o mapeamento de 11 áreas de risco e mais de 1.300 moradias. “Com este trabalho, protocolamos uma proposta de R$ 59 milhões junto ao Governo Federal no PAC 4 para atuação nestas áreas de risco, ou seja, estamos desde o início da gestão realizando movimentos para enfrentar problemas como este que é o somatório de drenagens insuficientes para os atuais volumes de chuva, ocupação irregular e outros problemas que se somam”, explica Júnior.


A prefeita Angela Schuh destaca que a Prefeitura de Cachoeira do Sul trabalha agora para enfrentar os problemas e não ficar buscando culpados para o que está acontecendo. “Estamos buscando soluções. A cidade foi severamente castigada e precisará de muita resiliência e a população tem demonstrado esta capacidade.


Não tivemos perda de vidas e isso foi pelo trabalho de todas as forças de segurança, Prefeitura e de cada cidadão que ajudou o seu vizinho, amigo e familiar. É preciso união, calma e fazer o que deve ser feito da maneira correta para recolocar o que for possível no lugar e retornarmos à normalidade”, destaca ela.


R$ 550 mil para o Fundo de Defesa Civil

O Governo do Estado, através de sua Defesa Civil, esteve em Cachoeira do Sul no dia 23 de dezembro e já repassou R$ 550 mil para o Fundo Municipal de Defesa Civil, recurso que será utilizado na recuperação do interior e que está auxiliando na ajuda humanitária, alimentação, material de higiene e colchões.


Muito entulho recolhido

A Secretaria de Obras e a Secretaria de Meio Ambiente ainda seguem o trabalho de recolhimento dos entulhos deixados pela enxurrada. Somente no Bairro Bom Retiro foram 25 caçambas de material recolhido, o que contabiliza 125 toneladas de lixo como móveis, roupas e eletrodomésticos que ficaram inutilizados após a chuva. Foram ainda retiradas 10 caçambas de material do Bairro Fátima, 6 no bairro Barcelos e 2 na Rua Manduca Carvalho.


As secretarias também realizam a limpeza de bueiros, sangas e galerias em diversos locais como Bom Retiro, Fátima e Ponche Verde e o patrolamento no Bairro Bom Retiro.


Cachoeira do Sul de setembro de 2023 a janeiro de 2024 foi atingida por 5 grandes eventos adversos:

02/09 – Chuvas Intensas – terceira maior inundação da história de Cachoeira do Sul

22/11 – Chuvas Intensas, nova inundação com remoção de famílias de áreas ribeirinhas

18/12 – Vendaval com queda de árvores destelhamento e destruição de residências

22/12 – Chuvas Intensas com vendaval, 160 mm de chuva em menos de 1 hora, sendo considerada um dos piores eventos naturais já ocorrido na cidade

02/01 – Chuvas intensas com vendaval e enxurrada




Kommentare


bottom of page