top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Saúde faz palestras em escolas municipais para previnir piolhos



O controle da pediculose na rotina escolar é mais um tema de promoção de saúde que está sendo desenvolvido pela equipe da SMS junto à rede de ensino da cidade. O projeto que aborda a infestação de piolhos entre os estudantes, desvenda a doença e orienta sobre o seu tratamento foi lançado esta semana por servidores da Estratégia de Saúde da Família (ESF) Noêmia em diferentes turmas (e turnos) nas escolas Sonho Meu, de educação infantil, e Dinah Neri Pereira, de ensino fundamental. O piolho é inseto conhecido pelos médicos como Pediculus humanus capitis, pode infestar homens e mulheres em qualquer idade e classe social, mas afeta mais crianças com idades entre 3 e 12 anos. Historicamente, as epidemias geralmente acontecem em ambientes escolares, onde o contato social facilita a transmissão, principalmente em meses de altas temperaturas ou maior umidade.



A proposta da saúde municipal é abordar o tema de forma didática, desmistificando a doença entre as crianças, ao mesmo tempo em que envolve a escola e a família, que são essenciais neste processo. “A infestação do piolho da cabeça, que é o mais comum, pode causar estresse e angústia na criança perante seu grupo social, além de constituir grande risco de transmissão no ambiente familiar”, explica o idealizador da ação, o agente comunitário de saúde Flávio Rodrigues. A iniciativa, além da ação em sala de aula que estabelece interações com os alunos e demonstrações práticas, agrega material informativo dirigido aos pais com os principais cuidados que integram o tratamento (a eliminação dos insetos e das lêndeas ocorre de forma manual e medicamentosa).



Nas interações desenvolvidas ao longo da semana nas duas escolas do bairro Noêmia, explica Rodrigues, a receptividade dos estudantes foi excelente e acaba por resultar na abordagem da campanha também nos domicílios, ampliando os cuidados e o controle muito maior das infestações nestas instituições. Através dos projetos de saúde nas escolas, os servidores atuam paralelamente na promoção da autoestima e do empoderamento das crianças, fatores que repercutem na qualidade de vida. “O contato dos alunos com os profissionais do posto também reflete na aproximação das famílias com o serviço de saúde do seu bairro, seja em busca do tratamento ou para o esclarecimento de dúvidas”, avalia o agente. As escolas que tiverem interesse na atividade similar podem fazer a solicitação pelo telefone 3724-6075 ou whatsapp 995707979. 


Fotos/Texto: Viviane Souza - Ascom SMS

Comments


bottom of page