top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Adriana Palladino | E se...

O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado do país a reconhecer que os animais, por enquanto, cães e gatos, são seres sencientes. Capazes de sentir medo, tristeza, a dor da perda e tantos outros sentimentos e emoções.

Para nós, protetores, não é novidade esses sentimentos. Quem convive diariamente com eles e muitas vezes com tantos, sabe reconhecer todos esses sentimentos.


Diante dessa certeza, pensemos na seguinte situação: você é tirado da sua família, jogado num lugar onde você não pode se comunicar com ninguém, ninguém entende seu apelo e seu pedido desesperado por ajuda. Você perambula pelas ruas, sob o olhar desinteressado das pessoas que te olham e passam por você como se você não existisse. Algumas dessas pessoas que passam por você, te olham com o olhar triste e muitas vezes te dizem: "Não posso te levar para casa, tenho muitos."


Alguns deles, perambulam feridos, maltratados por gente ruim, implorando com os olhos que alguém os ajude, e mais uma vez é um ser invisível.

Muitos animais que estão na rua, implorando por ajuda e todos que estão nos abrigos, querem a mesma coisa: um lar, uma oportunidade para serem felizes.

A missão dos animais é essa, ser feliz e dar felicidade para alguém. Mas infelizmente, a falta de amor do ser humano, supera a bondade e a generosidade dos que amam os animais.


Cada animal que vive com os voluntários, todos, tem uma história de vida triste, todos foram resgatados para terem ou, um final de vida feliz, no caso dos idosos e dos doentes, ou para que os novos tenham oportunidade de ter um lar.

Todos foram lotando suas casas com histórias tristes que se transformam em histórias de amor e acolhimento. Por essa razão, a cada pedido de resgate que somos marcados nas redes sociais, a tristeza e a frustração tomam conta de nós.

Não é possível recolher todos, nem nós e sinto dizer, nem o poder público. O abandono está sem controle. A cada dia que se abre as mídias sociais o que mais se vê são pedidos de ajuda para animais abandonados. Mudar essa realidade demanda dedicação, esforço e infelizmente algo que os que sofrem na rua não tem, tempo.


A Holanda conseguiu acabar com esse sofrimento. Como? Investindo alto em fiscalização! Atualmente quem maltratar ou negligenciar os animais na Holanda pode pegar até cinco anos de prisão e pode ter que pagar uma multa de 90 mil euros. Em reais, esse valor ultrapassa R$ 500 mil. Além disso, a Holanda investiu na microchipagem de todos os animais do país. Lá é obrigatória e com isso, os animais são facilmente rastreados e devolvidos aos seus donos. Hoje a Holanda é considerada o país mais “Pet Friendly” (amigáveis para pet) do mundo! Sendo referência no cuidado com os animais. Mas não foi do dia para noite. Demorou muitos anos, mas aconteceu. Bastou alguém dar o primeiro passo.


E por aqui, as coisas vão acontecendo de forma esparsa. Uma coisa aqui, outra acolá. Com o esforço de alguns. Mas a verdade é que para nós ainda falta um longo caminho para que aqui as coisas mudem também!


Adriana Palladino

bottom of page