• Da Redação

Hilton De Franceschi | Quando o Governo se complica

Quando as determinações de um governo não faz sentido, não atende a uma lógica mínima, mesmo para quem tem uma capacidade de compreensão média, me incluo entre essas pessoas, fica difícil de entender e, das mesmas serem respeitadas.


Não tenho me manifestado sobre os decretos de restrições impostas pelos governos, como forma de conter a pandemia, porque imagino as dificuldades das autoridades para atender tantos interesses divergentes, todos legítimos, dos diversos seguimentos da sociedade.



Embora, no meu entendimento o comércio não é o responsável pela propagação do vírus, até porque todos seguem as recomendações e os protocolos da saúde, mas sim inúmeras aglomerações que, todos nós testemunhamos, e não são reprimidas pelo poder público.


Decidi fazer minhas caminhadas na praça, justamente para fugir do movimento das ruas, quando presenciei uma dessas contradições, que justificam o porquê do descrédito do governo na tentativa de conter o avanço da pandemia.


Na praça havia poucas pessoas, éramos quatro ou cinco a cada dia no máximo, um número bem inferior das principais ruas da cidade, ainda assim fomos vigiados o tempo todo por dois e até três agentes da prefeitura.


No meu primeiro dia coloquei a mascara e dei inicio a caminhada. Já nas primeiras voltas percebi que algumas daquelas pessoas estavam sem mascara o que me fez relaxar, já ofegante, deixei o nariz descoberto o que bastou para eu ser repreendido pelo agente público.


Não era minha intenção dedurar os colegas de caminhada que se quer estavam usando mascaras, mas fui obrigado a perguntar aos agentes: Com o nariz descoberto não pode? Sem a mascara é permitido? Como cidadão obediente, recoloquei a mascara no devido lugar e retomei o meu exercício. No entanto, a resposta do agente me deixou inquieto.


Os agentes designados para vigiar a praça, com não mais do que cinco pessoas, foram gentis e educados ao responder o meu questionamento: As pessoas que tiverem apenas caminhando, o uso da mascara é obrigatório, já para os que decidirem correr o artefato não é necessário, responderam com convicção os fiscais. Pensei e por isso estou escrevendo: A autoridade que deu essa ordem aos fiscais é mesmo um gênio na prevenção da corona vírus ou sou eu que tenho dificuldades de entender os protocolos?


Uma boa semana para todos.



Hilton de Franceschi

anúncie aqui!.png
1/1571