top of page
  • Lenon Quoos

Jaqueline Machado | Crenças limitantes...

As crenças limitantes estão tatuadas no DNA da raça humana. Elas são transmitidas através de costumes de antepassados. E induzem o indivíduo a agir de muitas maneiras, sem demonstrar seus reais desejos.


Essas crenças têm como objetivo, manter a vida humana obediente a regras patriarcais e crenças religiosas que retiram o poder interno de cada um, decretando que é preciso sofrer mais e mais, e ter uma adoração pelo sofrimento, porque é através dele que se alcança as bênçãos celestiais.

Isso é uma falácia, pois é justamente o oposto disso, que conduz o ser humano ao encontro de si, e de sua missão. Porém sob o efeito manipulador que o poder exerce no meio social, o ser humano, entorpecido, passa a repelir os prazeres da vida e a aceitar que não é digno da felicidade.


Com isso, também, o pagador de promessas oferta momentos de dor e sacrifícios, como seguir procissões de joelhos, deixando rastros de sangue pelo caminho para assim obter o merecimento de um pequeno milagre. Nem o Deus nem a Deusa se alegram ao ver um filho assim, em estado de ultraje.


Em vez disso, melhor seria prometer amar mais, beijar mais, rir, dançar, brindar a beleza da lua, cuidar do seu próximo e da natureza. Como bem disse o filósofo Gilles Deleuze: O poder necessita de tristeza, porque a pessoa triste é facilmente dominável. Já a pessoa feliz, não se rende, tem consciência de si e pode fragilizar a estrutura do “sistema”.


Crenças limitantes são como pragas que corroem internamente a raça humana, e é daí que surgem as manifestações de quase todas as doenças, especialmente as emocionais, já que sob essas condições, o indivíduo vive sob pressão, desconectado do seu próprio “eu”... E não pode cumprir seu destino, que é ser livre para construir o seu Éden pessoal e desfrutar com alegria do Jardim das Delícias...

Jaqueline Machado.

Comments


bottom of page