top of page
  • Foto do escritorDa Redação

Ponte do Fandango provavelmente será o último acesso liberado em Cachoeira


Com o nível do Rio Jacuí baixando já é possível notar por filmagens de drones os problemas estruturais deixados na rodovia BR-153, nas proximidades da Ponte do Fandango, após ter sido coberta pela água que estava com grande correnteza. A via se manteve abaixo d'água por quatro dias.


Tanto antes de chegar na Ponte do Fandango no sentido cidade/BR-290, como após, até a empresa Três Tentos, a estrutura da via está totalmente danificada, impossibilitando o tráfego no local, mesmo baixando o nível ainda mais.


A estrutura dos acostamentos também foram danificadas, não sendo possível até o momento verificar algum dano a via principal da BR-153. Com todos esses estragos, a Ponte do Fandango provavelmente será o último acesso liberado em Cachoeira, o que vai depender da recuperação a ser realizada pelo Dnit.


RSC-287 e ERS-400 como rotas alternativas

A Prefeitura Municipal de Novo Cabrais realizou uma parceria com a empresa Sacyr para a recuperação da cabeceira da ponte na RSC-287, que conecta o município a Candelária e região de Sobradinho/Cruz Alta. O acordo, selado entre o prefeito Leodegar Rodrigues e a concessionária responsável pelo trecho, teve como objetivo restaurar a conexão da rodovia que foi interrompida devido aos danos causados pelas enchentes.


A ERS-400 também teve um trecho liberado na subida para a Região Centro-Serra, o que possibilita conexão de Cachoeira com municípios polo da metade norte do Estado.


ERS-403 segue tomada pela água nesta terça

A ERS-403, principal acesso entre Cachoeira do Sul e Rio Pardo segue debaixo d'água nesta terça-feira, 7 de maio. A baixa do Rio Jacuí está devagar pelo fato de continuar recebendo volumes de outros rios, além de ficar volume represado na rodovia. As águas descem todas para o lago Guaíba, que recebe todo esse volume de água. Desse modo, passa a ter dificuldade de escoá-la para a Lagoa dos Patos, em razão de um afunilamento na ligação.


Nessa situação, por vezes há o fator vento sul, que força o represamento, empurrando a água em sentido contrário.

Imagens: Divulgação.


Comments


bottom of page